Fiat Chrysler oficializa proposta de fusão com a Renault

Fiat Chrysler oficializa proposta de fusão com a Renault

Fiat Chrysler, dona da marca Jeep, propõe fusão com RenaultReprodução/Fiat – 8.dez.2015 (via Flickr)

O grupo automobilístico Fiat Chrysler divulgou nesta 2ª feira (27.mai.2019) proposta para fusão com a montadora Renault. Se confirmada, a união criará a 3ª maior montadora do mundo, atrás de Volkswagen e Toyota, com vendas anuais de 8,7 milhões de veículos.

Eis a íntegra do documento.

De acordo com a proposta, o novo grupo pertenceria em 50% aos acionistas da empresa ítalo-americana e em 50% aos acionistas da montadora francesa. Já as ações seriam negociadas nas Bolsas de Nova York, Paris e Milão.

A união, segundo a proposta, ajudaria as empresas a racionalizar recursos e aumentar o portfólio de marcas, do luxo ao mainstream. Foi estimada uma economia de € 5 bilhões (US$ 5,6 bilhões) a cada ano com o compartilhamento de tecnologias.

A Fiat Chrysler é mais forte nos mercados norte-americano e de utilitários esportivos. Já a Renault é mais forte na Europa e no desenvolvimento de veículos elétricos.

Em 2018, as receitas anuais das empresas somam € 170 bilhões, com lucro operacional somado de mais de € 10 bilhões e lucro líquido de mais de € 8 bilhões.

O documento afirma ainda que a fusão não provocaria o fechamento de fábricas.

A proposta indica também que a aliança entre a Renault e as japonesas Nissan–Mitsubishi poderiam continuar.

As conversas entre os conglomerados teriam começado quando a Renault estava sob comando do executivo Carlos Ghosn. O brasileiro é acusado de má conduta financeira no Japão e foi preso em novembro do ano passado.

Após o anúncio da proposta, a montadora francesa informou que os membros do conselho de administração se reunirão nesta 2ª para examinar os termos do acordo.

Poder360