Filhos de Bolsonaro têm 116 cargos nomeados na estrutura do Congresso

O deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) e o seu irmão, o senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ)  Foto: Dida Sampaio/Estadão

BRASÍLIA – Citados pelo ex-policial Fabrício Queiroz, os cargos no Congresso sob o comando da família Bolsonaro somam, por mês, quase R$ 1 milhão em salários. Ao todo, o senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) e o deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) têm 116 pessoas nomeadas nas estruturas do Congresso, somando as vagas nos gabinetes ou relacionadas a funções de comando que os dois exercem.

Em áudios divulgados pelo jornal O Globo, Queiroz, ex-assessor de Flávio na Assembleia Legislativa do Rio (Alerj), indica caminhos para nomeações no Congresso. De acordo com a publicação, a mensagem foi enviada em junho – seis meses depois que o Estado revelou que o ex-assessor foi citado em relatório do antigo Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf, agora Unidade de Inteligência Financeira) por movimentações atípicas em sua conta.

Estado mapeou os cargos e os salários nos gabinetes dos dois filhos de Bolsonaro e, também, em postos chaves que cada um ocupa como, no caso de Eduardo, a Liderança do PSL e a Comissão de Relações Exteriores (Creden) da Câmara. Já Flávio tem aliados nomeados na Terceira Secretaria do Senado, que comanda, além dos gabinetes de Brasília e do Rio de Janeiro. O levantamento contabilizou os cargos que dependem exclusivamente da vontade dos dois parlamentares.

Estadão