FISSURAS: eleições dividem famílias e racha pode gerar conflitos na busca pela sucessão governamental na PB - :: Paraiba Urgente :: Portal de Notícias

FISSURAS: eleições dividem famílias e racha pode gerar conflitos na busca pela sucessão governamental na PB

cassio e ricardo rachaO rompimento da aliança política entre o senador Cássio Cunha Lima (PSDB) e o governador Ricardo Coutinho (PSB), poderá provocar rupturas além da caça aos votos e aos aliados. Por conta do racha entre tucanos e socialistas, as eleições para governador deste ano vão colocar familiares em palanques diferentes na campanha.

As maiores perdas podem ser na base do senador Cássio Cunha Lima e do Ricardo Coutinho que juntos em 2010 conseguiram mais de 1 milhão de votos e agora buscam fortalecer seus redutos políticos.

Fazendo um perambulo, a começar na família Cunha Lima, o empresário Renato Cunha Lima, tio do senador Cássio Cunha Lima, desfiliou-se do PSDB e vai para o palanque do governador Ricardo Coutinho (PSB). Renato Cunha Lima inclusive, já declarou voto ao governador socialista.

A decisão de Renato faz os paraibanos lembrarem da postura adotada pelo então deputado federal Ivandro Cunha Lima em 1998, por ocasião do racha entre o então candidato a governador Ronaldo Cunha Lima e o governador na época José Maranhão. O racha entre ronaldistas e maranhistas, deixou Ivandro numa situação desconfortável. Mesmo tendo uma reeleição para deputado federal praticamente certa, ele renunciou a candidatura por não concordar com a briga que começou no 18 de Março de 98, no salão de festas do Clube Campestre em Campina Grande.

A família Mariz também vive o mesmo dilema nas eleições que se aproximam. O ex-reitor da Universidade Federal de Campina Grande (UFCG) Thompson Mariz está com Ricardo, enquanto o seu irmão, José Mariz, procurador da Prefeitura de Campina Grande, votará em Cássio e deve fazer parte da coordenação jurídica da campanha do tucano. O presidente da Ordem dos Advogados do Brasil, seccional Paraíba, Odon Bezerra, deverá ficar no palanque da oposição e o irmão, deputado Hervázio Bezerra, naturalmente, com o governo.

A disputa pelo comando da chave do Palácio da Redenção, também deverá provocar uma divisão na família do presidente da Assembleia Legislativa da Paraíba, deputado Ricardo Marcelo (PEN). Ricardo Marcelo deverá apoiar a candidatura do senador Cássio Cunha Lima, enquanto o seu irmão Tarcísio Marcelo, ex-prefeito de Belém, vai trabalhar pela reeleição do governador Ricardo Coutinho.

A divisão não atinge apenas os laços familiares. Aliados históricos do senador Cássio Cunha Lima, também esqueceram a longa amizade construída há anos para seguir com o “mago”. Um exemplo é o vice governador Rômulo Gouveia (PSD), que mesmo preservando a amizade com Cássio, resolveu permanecer apoiando o projeto de reeleição de Ricardo Coutinho. O deputado Manoel Ludgério, outro aliando histórico da família Cunha Lima, e o secretário Ricardo Barbosa, também optaram em deixar o “ninho tucano” pelo jardim dos “girassóis”. Em compensação, vários socialistas resolveram seguir com o senador Cássio Cunha Lima, e podem abandonar o projeto de reeleição de RC.

Severino Lopes 

PBAgora