Fla vence Flu e vai para a Libertadores com a missão cumprida no Brasileiro

Jorge Jesus não escalou os reservas no Maracanã. O Flamengo foi a campo com o que tinha de melhor e fez o seu papel, vencendo o clássico contra o Fluminense, por 2 a 0, para ir para a decisão da Libertadores com liderança tranquila no Brasileiro.  A liderança pode, inclusive, ser ainda mais folgada se o Palmeiras perder para o Athletico Paranaense. Seriam 11 pontos de frente para os rubro-negros, que decidem vaga na final da Libertadores na quarta, contra o Grêmio.

Já o Flu continua ameaçado pelo Z4.  Domínio do Fla O Fla-Flu começou com abafa do Fla. Yony González sentiu a pressão e acabou errando em saída de bola. A bola foi nos pés de Gabigol, que bateu no cantinho e Muriel fez uma defesaça para evitar que a bola entrasse.  Mas o gol não demorou nada. Rodinei recebeu com liberdade cobrança de escanteio curto e mandou na medida para Bruno Henrique, de cabeça, abriu o placar do clássico.

O Flu quase respondeu logo aos seis minutos. Depois de sobra de bola na área, Wellington Nem tentou o arremate e Diego Alves fez uma linda defesa para evitar o gol. Em clássico eletrizante, Gabigol respondeu logo no contragolpe mas, na cara do gol, parou em Muriel. O atacante voltou a invadir a área pouco depois e foi derrubado por Nino, mas o árbitro mandou seguir.

No quadro geral da partida, o Rubro-Negro era muito superior, mas o Tricolor conseguia descidas pontuais sempre perigosas. Nem voltou a dar trabalho para Diego Alves aos 25, em nova boa intervenção do goleiro.  Os dois goleiros se destacaram em um duelo de alto nível, com muitas oportunidades.

Muriel fez outra defesa de difícil execução em cabeçada no cantinho de Rodrigo Caio. 1 a 0 foi pouco para o que aconteceu no primeiro tempo.  Conformismo do Flu O Flamengo voltou forte para o segundo tempo e aproveitou as trapalhadas de Frazan na saída de jogo para ameaçar. Gabigol quase marcou depois da primeira delas, mas Muriel, esperto, conseguiu o corte.

Mas, assim como no primeiro tempo, o gol rubro-negro foi questão de tempo. Gabigol tabelou com Reinier e mandou para Gerson, que levou para a canhota e bateu firme para marcar contra seu ex-time. Teve, é claro, a famosa lei do ex.  Com o 2 a 0, Jorge Jesus aproveitou para poupar peças importantes do time. Gerson saiu, Filipe Luís também.

Mas o Flu não conseguiu se achar em campo.  O restante do jogo foi pura festa rubro-negra. A torcida aplaudiu a cada toque do time, contra um rival que dançava conforme a música. 2 a 0 foi o placar, fora o baile.

O Gol