João Pessoa 18/02/2019

Início » Cidades » Flagrada em festa em Taubaté, Suzane Richthofen volta à prisão

Flagrada em festa em Taubaté, Suzane Richthofen volta à prisão

Detenta descumpriu regras da saída temporária, pois deveria seguir do presídio direto para Angatuba, onde declarou morar

Campina Grande (MS), 25/04/2017 – gado. Mutilados dos frigoríficos – trabalhadores perderam partes do corpo no trabalho dentro dos frigoríficos. Foto: Rafaela Felicciano/Metrópoles

Durou poucas horas a saída temporária de Suzane von Richthofen para passar o Natal em casa. Liberada por volta das 8h10 deste sábado (22/12), após ser beneficiada com o saidão, ela foi levada de volta à Penitenciária Santa Maria Eufrásia Pelletier, em Tremembé (SP), 16h55. O motivo: em vez de ir direto para Angatuba, onde disse morar, passou em uma festa de casamento em Taubaté. Acabou denunciada à Polícia Militar, que a prendeu em flagrante. A informação é do portal G1.

A “escapada” da detenta viola as regras estipuladas pela Justiça para conceder o benefício do saídão. Os presos que conseguem a liberação devem deixar o cárcere e seguir direto para a cidade onde declararam morar. Depois, precisam retornar à cadeia na data e horário estipulados pela Justiça.

“Checamos a situação e confirmamos que ela estava contrariando a norma da saída temporária. Fizemos o que faríamos, e fazemos, com qualquer outro preso. Somente hoje, além dela, outros dois presos encontrados cometendo a mesma infração foram levados de volta aos respectivos presídios”, afirmou ao site de notícias o capitão da PM Carlos Alberto Souza, responsável pela prisão em flagrante de Suzane.

Conforme a reportagem, a direção da penitenciária deverá comunicar a Justiça da infração cometida: a Vara de Execuções Penais definirá se Suzane perde a saída temporária ou não. Ainda não há uma definição. Se for punida, ela perde o direito aos 10 dias de liberdade que teria: a data de reapresentação da detenta era 3 de janeiro.

Também pode ficar fora das próximas listas de beneficiados em liberações temporárias. Em todo o país, 3 mil presos começaram a deixar a cadeia desde sexta-feira (21) em decorrência do saidão de Natal.

Assassinato
Suzane von Richthofen foi condenada a 39 anos de cadeia por assassinar seus pais. A reportagem lembra que esta é a segunda vez que a detenta infringe as regras da saída temporária. Em maio de 2016, por fornecer endereço falso às autoridades no saidão de Páscoa, ela respondeu a processo administrativo e ficou isolada na solitária.

Em outubro de 2015, Suzane progrediu do regime fechado para o semiaberto, por bom comportamento. Em setembro, teve negado o pedido para cumprir o resto da pena em liberdade.

Metrópoles Justiça