Fluminense é mais eficiente que o Bahia e vence para se distanciar do Z4

O Bahia perdeu um caminhão de gols no Maracanã. Mais eficiente, o Fluminense marcou com Nenê, de pênalti, e Daniel, de cabeça, para vencer por 2 a 0. A vitória faz o Tricolor das Laranjeiras chegar a 29 pontos e alcançar o 13° lugar do Brasileiro, passando Fortaleza e Vasco. O Tricolor Baiano estaciona em oitavo, com 38.  Bahia começa bem, mas é Flu quem marca O Bahia animou o começo do jogo com rápidas descidas pelas pontas.

Pela direita, João Pedro ganhou da defesa e mandou para Élber, livre na pequena área. Só que o ponta mandou para fora e perdeu gol incrível.  Acuado nos primeiros minutos por um rival adiantado, o Fluminense foi se apresentando para o jogo aos poucos. Yony González era a melhor opção ofensiva, enquanto Nenê chamava as jogadas na armação.

A primeira boa chance tricolor foi quando os dois se uniram. Nenê fez jogada em velocidade pela direita, invadiu a área e rolou para trás para Yony, que bateu desequilibrado e jogou para fora.  Aos 18 minutos, Nenê abriu para Yony, que tabelou com Daniel e, na área, acabou puxado por João Pedro: pênalti marcado com convicção por Héber Roberto Lopes. Nenê bateu em um canto,

Douglas pulou no outro e a bola morreu no fundo da rede.  O Tricolor Baiano passou alguns minutos se reencontrando em campo e, quando conseguiu achar novamente as jogadas pelo flanco, Gilberto teve chance de finalizar na área, mas Frazan, que entrou no lugar de Digão, machucado, travou bem. O atacante tentou também de fora da área, mas mandou para fora.

Apesar do jogo corajoso, os baianos, com marcação adiantada, acabaram dando espaço atrás e, perto do intervalo, o Flu ampliou. João Pedro recebeu de Wellington Nem na área e acertou chute no travessão. Na sobra, Daniel mandou de cabeça e Douglas não conseguiu evitar a entrada da bola.  Caminhão de gols perdidos Arthur Caíke foi uma das novidades dos baianos para o segundo tempo e, depois de uma indefinição da defesa carioca, o atacante quase empatou logo no primeiro lance em campo, mas, de canhota, chutou para fora.

Aos três, Arthur Caíke tabelou com Gilberto e mandou para Flávio finalizar por cima.  O sistema defensivo dos donos da casa voltou do intervalo em pane. Ainda com quatro minutos, Gilberto avançou na área sozinho e rolou para Lucca, que tirou de Muriel no arremate, mas Gilberto, o lateral, cortou em cima da linha para evitar o empate.

O Bahia perdeu ainda mais gols que no primeiro tempo. Ainda antes dos dez minutos, Arthur Caíke perdeu chance quase na pequena área e Élber parou em Muriel, ambas jogadas que contaram com assistências de Gilberto.  Nas cordas, o time da casa foi salvo por Muriel de novo aos 11, em forte chute de João Pedro de fora da área, e aos 15, em arremate de Gilberto na área.

Depois do caminhão de gols perdidos, e de forma até natural, o time de Roger Machado sentiu o cansaço. A equipe de Marcão, que chegou a levar perigo em alguns contragolpes, administrou e viu o relógio trabalhar favorável até se confirmarem os três pontos.

O Gol