Fluminense é mantido na Série A após Portuguesa ter recurso negado no STJD - :: Paraiba Urgente :: Portal de Notícias

Fluminense é mantido na Série A após Portuguesa ter recurso negado no STJD

fluminenese e portuguezaO Fluminense vai disputar a Série A do Brasileiro de 2014. Com votação mais uma vez unânime (oito votos a zero), dessa vez do Pleno do STJD, foi mantida a condenação da Portuguesa pela escalação do atleta Heverton na última rodada, contra o Grêmio, com a perda de quatro pontos e multa de R$ 1 mil. Assim, o Tricolor ultrapassa a Lusa na tabela e rebaixa o time paulista.

Os advogados das partes não trouxeram novidades para o julgamento desta sexta-feira. João Zanfornin, que defendeu a Portuguesa, alegou mais uma vez que a partida contra o Grêmio não tinha validade, que Héverton não faria diferença no jogo, que a comunicação ao clube pela CBF dava condição de jogo ao atleta e exaltou a questão moral para prevalecer o resultado de campo.

O procurador Paulo Schmidt foi duro e contra-atacou. Disse que Héverton deveria estar na tribuna para esclarecer o motivo de ter entrado em campo e infringir o artigo 214 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva.

 

– O atleta não compareceu para explicar pra torcida o que aconteceu. Se a Portuguesa perdeu os pontos, que seus torcedores cobrem do seu clube porque o atleta não veio aos autos. Deveria estar aqui dizendo o que aconteceu – disse o procurador.

 

Torcedorda Portuguesa leva cartaz na porta do STJD
Torcedorda Portuguesa leva cartaz na porta do STJDFoto: Cezar Loureiro / O Globo

Os advogados de Fluminense, Mario Bittencourt, e Flamengo, Michel Assef Filho, apenas reforçaram suas teses do primeiro julgamento.

O relator, auditor Decio Neuhaus, deu voto longo negando todos os argumentos da Portuguesa, e leu discurso pronto para rebatê-los. Os demais auditores e o presidente do STJD Flavio Zveiter acompanharam a negação do recurso e condenaram a Lusa, que jogará a Série B. O presidente do STJD, por sinal, mandou um recado a CBF.

– Marin estava equivocado. Esse tribunal é independente da CBF. A partida valia, sim. As que não valiam foram antecipadas para o sábado – disse no julgamento.

Extra Online