França mobiliza cerca de 700 policiais para localizar atirador de Estrasburgo

França mobiliza cerca de 700 policiais para localizar atirador de Estrasburgo

Em sua conta no Twitter, a polícia pede à população que ajuda a encontrar o suspeito do atentado, Cherif Chekatt, 29, que continua foragidoFoto: polícia francesa/via Reuters

As buscas pelo suposto agressor, o francês Chérif Chekatt, de 29 anos, condenado 27 vezes por crimes variados, continuam nesta quinta-feira (13). O governo pediu a ajuda da população para identificar o indivíduo, que se tornou adepto do Islã radical na prisão.

O atentado contra a feira de Natal de Estrasburgo, na última terça-feira (11), que deixou três mortos e 14 feridos, deixou a França em estado de choque. Cerca de 700 policiais e militares participam das buscas a Chérif Chekatt, “um bandido que se rendeu ao islã radical”, segundo o jornal Le Figaro.

Segundo o jornal francês, as investigações se concentram nas pistas deixadas pelo foragido. As autoridades acreditam que ele possa ter fugido para a Alemanha, cuja a fronteira fica a cerca de 20 quilômetros de Estrasburgo. “A França prende a respiração e espera sua captura para evitar que mais sangue escorra perto das festas de fim ano”, publica Le Figaro.

“Noite de Terror”

“Noite de Terror” é a manchete do jornal Libération, que estampa a trágica imagem da feira de Natal de Estrasburgo iluminada, mas completamente vazia, sob a proteção de soldados fortemente armados.

O Libération traz mais detalhes sobre seu perfil e sobre sua trajetória no dia no atentado. Nascido em Estrasburgo, Chekatt foi preso pela primeira vez aos 17 anos, na França e na Alemanha, por delitos comuns: roubos, violência, agressões contra agentes públicos, insultos, dívidas.

No total, o registro policial de Chekatt tem 27 casos e 25 condenações. Segundo informações exclusivas do Libération, nenhum dos processos tem relação com terrorismo. O jovem se radicalizou na prisão e fazia parte dos chamados “fichas S”, como a França classifica os potenciais terroristas. Ele era monitorado pelos serviços de inteligência, que não suspeitavam que um dia ele pudesse cometer um atentado.

Turista tailandês está entre as vítimas

O jornal Aujourd’hui en France traz informações sobre os três mortos no ataque. Um pai de família de 59 anos, natural de Estrasburgo que havia saído para jantar com a esposa e o filho. Um turista tailandês de 45 anos, que estava viajando pela França com a mulher e dois amigos.

Além deles, um homem afegão, de cerca de 40 anos, que imigrou à França com a mulher e o filho pequeno, dono de uma oficina de carros em Estrasburgo, teve morte cerebral decretada. Entre os 14 feridos, seis estão em estado grave, entre eles um jornalista italiano de 28 anos, que foi a Estrasburgo cobrir um evento no Parlamento Europeu, e que agora luta pela vida em um hospital do local.

Noticiário Francês