Funcionários maternidade Flávio Ribeiro fazem protesto reivindicando repasse dos recursos do SUS da prefeitura de Santa Rita, para hospital não fechar.

hospital falidoOs funcionários da maternidade Flavio Ribeiro em Santa Rita realizaram nesta segunda-feira (17), das 18h30m até ás 19h30m, mais um protesto reivindicando o repasse do atendimento dos serviços prestados pelo SUS da prefeitura de Santa Rita, que está atrasado a dois (2) meses, e os atendimentos foram suspensos pela direção do único hospital que funciona na cidade, com as portas abertas atendendo parcialmente a população e não tem previsão para pagamento de seus funcionários alertou a direção.

Os funcionários do hospital entre eles médicos, enfermeiros, auxiliar de enfermagem, seguranças, atendentes e todos que prestam serviço aquela casa de saúde, se mobilizaram e foram para frente do hospital bloqueando o trânsito aonde na oportunidade houve uma queima de pneus, e muito papel provocando muito fogo e fumaça o qual o trânsito da principal avenida da cidade ficou totalmente paralisada chamando a atenção de todos que por ali passavam em horário de pique, temendo perder o emprego pelo descumprimento dos repasses da prefeitura de Santa Rita, os funcionários se rebelaram a  reivindicar prometendo a retomar os protestos caso não seja efetuado o pagamento para garantir seus empregos, declararam.

A enfermeira Adriana Ferreira que é funcionária a cinco (5), disse que temendo perder o emprego devido a falta de pagamento que se tornou uma constante pela prefeitura repassar os recursos do SUS, “vive traumatizada sem seu salário e ser obrigada a vir a trabalhar para atender a população que chega à portal do hospital clamando pelo atendimento que não tem condição de pagar um plano de saúde, e nós funcionários não temos mais previsão de quando vamos receber nossos salários”, “seremos obrigados a paralisar também nossas atividades caso não arrumem uma solução para efetuar o pagamento, afirmou Adriana Ferreira.

De acordo com a direção do hospital Flávio Ribeiro a dois meses que os repasses do SUS dos atendimentos das parcerias estão com atrasos “ e hoje fui obrigada a chamar a atenção de todos os funcionários, que o hospital não tem previsão para efetuar o pagamentos além de suspender a urgência e só atender os casos de estrema gravidade, alem de informar aos usuários para procurar a Unidade de Pronto Atendimento –UPA ou um hospital mais próximo da cidade circunvizinha, “infelizmente temos obrigações a prefeitura diz que todo dia vai efetuar o pagamento e nada acontece, não pensei ainda em reduzir o quadro de funcionários”, revelou a diretora.

A direção disse ainda que o hospital sempre prestou serviço em parceria com a prefeitura de Santa Rita, em relação as outras administrações “é normal o atraso desses repasses, mais não tanto quanto essa gestão que se tornou-se uma constante no atraso e na vida dos que prestam serviço no hospital”, “muitos profissionais foram embora do hospital devido a esses atrasos”, afirmou a direção.

Na gestão do prefeito Reginaldo Pereira os serviços de saúde são considerados os piores da Paraíba, aonde mais de 50% das unidades de saúde estão precariamente funcionando, os salários atrasados e sem o programa “mais médicos”, além do fechamento do hospital infantil e cortou a parceria com o pronto socorro de fratura que existia a mais de 20 anos, ou oitos secretários passaram por esta pasta não muda nada em dois anos e oito meses de gestão.

hospital quatrro

hospital 20

hospital 21

hospital 22

hospital 23

Fotos: Raulino e Adriana Ferreira

Lamartine do Vale, do Paraíba Urgente.