Funjope fala em redução de 50% do patrocínio ao Carnaval e pede: ‘procurem outros caminhos’

burityO diretor executivo da Fundação Cultural de João Pessoa (Funjope), Maurício Burity, comentou que a prefeitura de João Pessoa continua apoiando o ‘Folia de Rua’ o ‘Carnaval Tradição’ da Capital e destacou que a decisão dos blocos ‘Picolé e Dindin de Manga’ de não participar das prévias carnavalescas deste ano é pessoal da direção destes blocos. O diretor lembrou, porém, que o patrocínio da prefeitura para o carnaval sofreu um corte de 50% devido à crise.

“A prefeitura sempre se fez presente em apoiar este evento importante para a cultura e turismo da cidade. O Brasil vivencia uma crise econômica e desde o ano passado já vínhamos reduzindo os valores dos incentivos, não só do carnaval mas dos demais eventos. Temos uma reunião com os representantes do Folia de Rua para definir os números, mas dentro da realidade que o Brasil vivencia”, explicou.

Já sobre a saída do Picolé de Manga e Dindin de Manga, Burity explicou que foi uma decisão particular e que outros blocos também podem, porventura, tomar esta decisão. “Estamos incentivando não só o Folia de rua, como também o Carnaval tradição, fechamos uma negociação com o presidente da liga para haver uma redução de 50% em relação ao ano passado. Tentamos incentivar que não só o pessoal da liga, mas também do folia que busquem outros patrocínios, empresas privadas, pois este é um evento que engrandece nossa cultura e turismo”, disse.

Maurício lembrou que a própria prefeitura já vem buscando patrocínios privados, a exemplo do BNDES no Festival Internacional de Música Clássica. “Temos que buscar outros caminhos, mas a não realização do evento seria muito drástica”, sugeriu.

Em 2015 foi investido R$ 800 mil para os 30 blocos, este ano houve uma redução de 50%, com a diminuição do Carnaval tradição, o investimento fica em torno de R$ 300 mil este ano. “Quarta ou quinta no máximo estaremos concluindo essa negociação. A Funjope cumpre seu papel, existe responsabilidade do prefeito com as contas públicas, obras para serem inauguradas. Vamos tentar chegar a denominadores comuns no sentido de realizar evento com qualidade e não perder de referência o momento que o Brasil vivencia”, comentou.

Para Burity, não será pelo corte nas verbas que o Folia de Rua e Carnaval Tradição vão perder o brilho. “Nós viemos realizando eventos com bastante competência e participação popular não é por conta da crise que os eventos perderão a grande participação popular”, concluiu.

Marília Domingues