João Pessoa 17/02/2019

Início » Economia » Furnas volta a operar hidrelétrica após avaliar deslocamento de lama

Furnas volta a operar hidrelétrica após avaliar deslocamento de lama

Atividades haviam sido paralisadas na sexta-feira (25) como medida preventiva, para evitar que os rejeitos de Brumadinho (MG) pudessem comprometer a estrutura

estatal Furnas, do grupo Eletrobras, informou neste na tarde deste sábado que já retomou as operações das duas turbinas de sua hidrelétrica Retiro Baixo, que funciona no Rio Paraopebas. As atividades haviam sido paralisadas na sexta-feira (25) como medida preventiva, para evitar que os rejeitos da barragem de Brumadinho (MG) pudessem comprometer a estrutura, mas foram retomadas após autoridades informarem que o deslocamento da lama é lento.

A concessionária Retiro Baixo Energética havia tomado providências para conter a lama ainda na sexta-feira, logo após a tragédia. “As primeiras providências da Retiro Baixo para conter a lama foram tomadas na sexta-feira (25/01), quando a operação da usina foi interrompida no mesmo dia, às 16h, além da realização de testes de vertedouro e fechamento das tomadas de água para preservar os equipamentos”, diz o comunicado. “A empresa está em contato permanente com as autoridades competentes para avaliar os reflexos causados pelo deslocamento da lama e tomar novas providências”.

+ Leia mais sobre a tragédia aqui.

Mais cedo, técnicos da Agência Nacional de Águas (Ana) informaram que agora é “pequena” a possibilidade dos rejeitos da barragem alcançarem a Represa de Três Marias no Rio São Francisco. Até sexta, a avaliação era de que a lama que invadiu o Rio Paraopebas seria amortecida pela Barragem da Hidrelétrica Retiro Baixo podendo avançar pelo curso do rio e chegar a Três Maria.

Conforme a reportagem apurou, a avaliação de hoje dos técnicos da agência é que essa possibilidade é pequena por causa da alta densidade da lama. Reuniões técnicas na agência estão ocorrendo neste sábado. Por conta do quadro, o prazo de chegada do rejeito até a estrutura também foi recalculado de dois para até 4 dias. A hidrelétrica tem potência de 82 megawatts (MW) e está localizada na região dos municípios mineiros de Pompéu e Curvelo, a cerca de 240 quilômetros de Brumadinho.

Economia ao Minuto