Geisy Arruda sobre linchamento: ‘Nunca ninguém se arrependeu’

Dez anos após ser hostilizada na faculdade, Geisy tem um canal no Youtube, escreve contos eróticos e faz sucesso no Instagram

Dez anos depois de ter sido ridicularizada na faculdade por usar um vestido tido como “inapropriado” para o ambiente, Geisy Arruda confessou que nunca perdoou nenhum dos envolvidos no episódio. Em entrevista ao Pânico nesta segunda-feira (28), a agora atriz e modelo disse que nunca ninguém lhe pediu desculpas.

“Eu não perdoei porque não me pediram perdão. Não vou perdoar quem não quer ser perdoado. Não quero perdoar ninguém, não, quero que se lasquem. Nunca ninguém se arrependeu do que fez, então não vou perdoar”, afirmou, acrescentando que não gostaria de encontrar nenhum de seus antigos colegas. “Eu processei a universidade e ganhei por danos morais, me deram 40 mil.”

Geisy disse, ainda, que mesmo parecendo uma pessoa bem resolvida e que deu a volta por cima após o ocorrido, ainda chora quando pensa no dia 22 de outubro de 2009. “Eu evito falar, evito ver as imagens, mas esse mês, quando completou dez ano, eu fui obrigada a rever muitas coisas, fotografei com o vestido. Eu guardo o vestido, mas não uso. Ele me remete a um dia muito triste, é simbólico.”

Questionada se pensa em se livrar da peça de roupa, ela negou. “Não porque o vestido não quer dizer nada. Ele é só simbólico, eu poderia estar usando uma calça jeans naquele dia, a situação seria a mesma”, afirmou.

Preconceito pós-faculdade

Geisy também contou que sente que até hoje as pessoas “a engolem”. “As pessoas acham que sou forçada, que crio situações. Eu sou livre, falo o que penso. Não faço média com ninguém. Eu nunca quis ser aceita, porque sei que vou ter que me enquadrar. Se me enquadrar é me reprimir, prefiro ser a do contra. Não admito que diga o que tenho que vestir, o que tenho que falar, onde tenho que ir, o que tenho que sentir”, ressaltou.

Ela relembrou sua participação no programa A Fazenda e em sua vida logo após a saída da Universidade Bandeirante de São Paulo (Uniban), onde foi hostilizada. “Na Fazenda, quando cheguei, o elenco tinha preconceito comigo, porque fazia dois meses do episódio do vestido. Também tinha ator da Globo mandava me barrar, a galera falava quem que é essa menina na minha festa, uma favelada, o que ela está fazendo aqui? Mas eu tinha convite e insistia: ‘Vou ficar.’”

Ela comparou o bullying que sofreu à recente polêmica envolvendo o MC Gui, que postou um vídeo ridicularizando uma criança na Disney. “As pessoas querem gerar um conteúdo diferente e perdem a mão. [MC Gui] Quis ser engraçadinho, mas ele não é engraçado, não tem feeling nem pra isso. Carlinhos Maia também vira e mexe perde a mão. Quando ele viu que a menina ficou constrangida, era só não ter postado. Cadê o bom senso?”, questionou.

Geisy conta que, após o episódio, se tornou ainda mais intolerante a esse tipo de prática. “Foram mais de três mil alunos me xingando, ridicularizando, uma agressão em manada, parecia um bando de animais, foi terrível. Eu senti na pele. Hoje, eu não suporto ver alguém sofrendo bullying”, finalizou.

Reviravolta

Atualmente, além de modelo e atriz, Geisy comemora os sucessos nas redes sociais, onde tem 1,5 milhão de seguidores, e conta que está testando novos produtos. “Uma das minhas fontes de renda, atualmente, é o meu canal no Youtube, Ponto G, e meus contos eróticos, que agora vou lançar um e-book chamado ‘O Prazer da Vingança.”

 

 

Jovem Pan