Gilvan Freire afirma que Cássio só esteve na festa de Ricardo para atrasar possível acordo com Santiago

Gilvan Freire e Walter Santos participaram hoje do programa ‘Debate Sem Censura’, da Rádio Sanhauá, e comentaram a possibilidade de perda de mandatos dos parlamentares que mudaram de partido sem justificativa. Segundo Gilvan, faltando apenas um ano para o término do mandato, não haverá tempo da ação do Ministério Público conseguir tirar os deputados de seus cargos.

 

Já Walter Santos disse que é algo que está nas probabilidades e até a ação se tornar decisão, levará bastante tempo, “dependendo das articulações dos parlamentares” não sairá até julho do próximo ano, quando todos estarão em campanha eleitoral.

 

Sobre a manutenção do número de parlamentares nas bancadas estaduais e federais, Walter disse que era previsível. Ele disse que o TSE cumpriu o seu papel tendo dados do IBGE para adequar a representação legislativa, mas o Congresso agiu e decidiu derrubar a decisão do Tribunal.

 

Indagados sobre a presença do senador Cássio Cunha Lima no aniversário do governador Ricardo Coutinho, Walter disse que o Senador foi aclamado, mas manteve a linha de não confirmar a aliança no próximo ano. Já Gilvan Freire disse que a relação dos dois é bem parecida com a de desafetos políticos, ele disse que não há trocas de elogios entre eles e afirmou que os presentes na festa ficaram frustrados com a postura de Cássio.

 

Segundo Gilvan, Cássio não pode estar satisfeito com o governo de Ricardo e Ricardo, por sua vez, não pode estar animado com o apoio de Cássio. Ele disse que o Senador só esteve lá para atrasar um possível acerto com Wilson Santiago, que foi chamado de Cigano, por conversar com todos os partidos.

 

Gilvan Freire disse que com essa postura, Santiago está se encaminhando pra ir para a derrocada, que, para ele, é o local para onde vão todos os neutros. Já Walter disse que a falta de sinais de manutenção de aliança entre Cássio e Ricardo, “tudo parece teatro”.

 

Especialista compara Ricardo a Stalin: ‘quem não estiver ao seu lado, está contra ele’

 

Os jornalistas e analistas políticos Gilvan Freire e Walter Santos participaram hoje de uma mesa redonda no programa ‘Debate Sem Censura’, da Rádio Sanhauá, e comentaram diversos assuntos que movimentaram a Paraíba durante a semana. Sobre a frase dita pelo governador Ricardo Coutinho durante a comemoração de seu aniversário no último domingo se referindo à oposição nas eleições do próximo ano, Freire disse que o gestor não tem condições de bater em concorrentes de peso e afirmou que “quem está disposto a bater, tem que estar preparado também para apanhar”.

 

Ainda em relação ao comportamento de Ricardo Coutinho diante de eleitores e servidores públicos, além de seu posicionamento radical frente aos adversários políticos, Walter Santos o comparou a Stalin, que apregoava que todos aqueles que não estiverem ao seu lado estão contra ele e, por isso, matou cerca de 32 milhões de pessoas. Para Walter, é muito perigoso trazer este modelo para a Paraíba.

 

Gilvan Freire finalizou sua fala no debate dizendo que nenhum político paraibano foi bem sucedido agindo da forma como Ricardo Coutinho age diante dos paraibanos. Ele citou, inclusive, o senador Cássio, em sua passagem pelo Governo da Paraíba, e afirmou que este conseguiu se reerguer, mas afirmou que da forma como a relação está se encaminhando, o Governador pode aproveitar o tempo que resta de seu mandato porque corre um sério risco de não se reeleger-se.

 

Gutemberg Cardoso: Por que gastar tanto com táxi aéreo se o Governo da Paraíba tem sete aviões?

 

Já se anunciou que a Paraíba e o Governo estadual comprou sete aeronaves. Como é que se explica uma despesa de R$ 400 mil com táxi aéreo? Seria um reforço da frota?

 

Não se vê explicação plausível para tanto dinheiro gasto com táxi aéreo. Uma explicação até podemos admitir, em alguns trechos do Estado, as estradas não são boas, é verdade. Mas é muito dinheiro e se espera do Governo uma justificativa para essa gastança toda num item bastante supérfluo.

 

 agencia Paraibana de Informações