Giovanni comemora recuperação e vê briga boa pela lateral no Fluminense

giovanniRio – Giovanni foi do céu ao inferno rapidamente em 2015. Após um bom início de temporada no Fluminense, o lateral-esquerdo sofreu uma grave lesão no joelho, passou por uma operação nos ligamentos e ainda sofreu com uma infecção que o deixou interado por um mês. Apesar dos momentos difíceis, o jogador se recuperou mais rápido do que o esperado pelo Departamento Médico tricolor e já se prepara para voltar aos gramados no início próximo ano.

“Só a gente sabe o quão difícil foi esse período, das dores que sentimos para voltar. Mas hoje estou bem. Estou conseguindo correr, fazer mudança de direção e saltar. O equilíbrio de força já está igual. Agora é readaptar aos movimentos de campo para que no início de 2016 consiga fazer todos os trabalhos junto do restante do grupo”, disse o jogador, que completou:

“Tive um bom início, principalmente no primeiro semestre, consegui um entrosamento rápido com meus companheiros pelo lado esquerdo, mas no momento que senti que meu futebol estavacrescendo ainda mais, tive uma lesão grave no joelho. Depois veio também o problema da infecção, fiquei internado quase um mês e isso quase atrapalhou um pouco minha recuperação. Mas o pessoal do Fluminense é de excelência e isso acabou não interferindo no tempo de retorno. Nessa reta final de ano estou conseguindo fazer bem os trabalhos de preparação física, então estou esperando um 2016 100% para começar bem.”

Ausente do time desde agosto, Giovanni viu outros jogadores assumirem sua posição e se destacarem. Léo Pelé e Ayrton deixaram as categorias de base para se juntarem ao elenco profissional, foram bem e prometem brigar de igual para igual para ver quem permanecerá na equipe titular do Tricolor.

“Essa competição é muito boa. Clube grande é assim, tem sempre que haver concorrência. O Léo e o Ayrton são dois meninos que subiram com muita vontade. Acredito que tenho coisa para passar para eles, assim como sei que eles vão me ensinar muito também. Vai ser uma boa disputa no ano que vem”, concluiu.

O Dia