Governador determina sindicância para apurar culpados por acidente com ônibus - :: Paraiba Urgente :: Portal de Notícias

Governador determina sindicância para apurar culpados por acidente com ônibus

Semanal de rádioO governador Ricardo Coutinho determinou a abertura de uma sindicância para apurar as causas do acidente de ônibus que matou duas pessoas e deixou 39 feridas, ocorrido na manhã de sábado (28), no trecho da BR 230, no bairro de Oitizeiro, em João Pessoa. Das vítimas, três continuam internadas no Hospital de Emergência de Trauma Senador Humberto Lucena.

Ricardo afirmou que não vai se pronunciar sobre o caso enquanto os culpados não forem apontados. “Sou o governador e não posso fazer pré-julgamento. Determinei que seja aberta uma sindicância com a participação do Ministério Público e vou chama-lo para acompanhar a representação das vítimas, para que possamos analisar não apenas o acidente, como todos os ônibus da empresa que serve Santa Rita”, disse.

O governador afirmou que os veículos têm que passar por uma vistoria completa. “Quero que eles possam passar por um raio-x, porque mesmo sabendo das dificuldades, da concorrência desleal, é fundamental que se tenha manutenção”, afirmou.

Ele garantiu que não vai passar a mão na cabeça de ninguém. “Aquele que, por ventura, seja responsável, eu não faço pré-julgamento, mas o Estado saberá atuar”, disse.

Segundo a secretária de Comunicação Institucional, Estela Bezerra, o governador esteve no Hospital de Emergência e Trauma de Jõao Pessoa para acompanhar o socorro às vítimas do acidente e garantir que todos estivessem recebendo o atendimento adequado.

Segundo a assessoria de imprensa do Trauma-JP,  José Carlos de Souza de 46 anos, após passar pelos procedimentos médicos e ter ficado em observação, foi liberado na noite deste domingo (29).

Marinalva Maria da Silva, 43, e Antônio Tadeu de Araújo, 53 anos, que teve um dos braços amputados permanecem em estado regular. A única vítima que permanece em estado gravíssimo é Marinalva Paulino de Melo, 43.

Já no Ortotrauma de Mangabeira, das 22 pessoas que deram entrada no hospital, apenas Juliana de Oliveira continua internada e será submetida a procedimentos cirúrgicos.

 

Portal Correio