João Pessoa 18/02/2019

Início » Notícias » Governo abre processo para apurar quebra de barragem de Brumadinho

Governo abre processo para apurar quebra de barragem de Brumadinho

Pasta de Minas e Energia será responsável por mais uma investigação para apurar causas de tragédia com estrutura da mineradora Vale na cidade mineira

O Ministério de Minas e Energia, dirigido pelo almirante Bento Lima Leite, determinou a instauração de processo administrativo para obter informações referentes ao rompimento da barragem da mineradora Vale na mina Córrego do Feijão, em Brumadinho (MG), no dia 25. A portaria foi publicada nesta segunda-feira, 11, no Diário Oficial da União.

De acordo com o texto, o processo administrativo servirá para a adoção de providências que se fizerem necessárias quanto à prevenção, controle e mitigação das consequências dos danos provocados pelo rompimento no município mineiro, bem como para a adoção de providências quanto à segurança de barragens.

Boletim divulgado no domingo contabilizava 165 mortos após a tragédia e 160 desaparecidos entre funcionários da mineradora, terceirizados que prestavam serviços à Vale e membros da comunidade. Há ainda 138 pessoas desabrigadas e duas seguem hospitalizadas – dezessete dias após o rompimento da barragem.

CP

A ação do MME é mais uma de uma lista de apurações que estão acontecendo simultaneamente. Na semana passada, os senadores Carlos Viana (PSD-MG) e Otto Alencar (PSD-BA) conseguiram o mínimo de assinaturas necessário para a abertura de uma comissão parlamentar de inquérito (CPI) no Senado para investigar as causas do desastre.

Os parlamentares querem ouvir a direção da Vale, responsáveis técnicos e integrantes do poder público responsáveis pela fiscalização. O presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), afirmou que o pedido será lido em Plenário nesta terça-feira e, na sequência, estará aberto o prazo para que os líderes partidários indiquem os componentes do colegiado. Na Câmara, a deputada Joice Hasselmann (PSL-SP) protocolou um pedido semelhante.

(Com Agência Brasil)