Governo estuda usar multa do FGTS como garantia para consignado, diz Barbosa

barbosa 2Nelson Barbosa, ministro da Fazenda

DAVOS – O ministro da Fazenda, Nelson Barbosa, afirmou, nesta sexta-feira, que o governo estuda a possibilidade de permitir que a multa do FGTS possa ser usada como garantia para empréstimos consignados, em caso de demissão do funcionário ou trabalhador. Segundo ele, essa é uma ideia apresentada por instituições financeiras, mas o martelo ainda não foi batido.

— Alguns representantes do mercado financeiro sugeriram ao governo a possibilidade de usar o FGTS, especificamente o saldo da multa, mas também outras alternativas, como uma garantia para empréstimo consignado. Caso o trabalhador ou trabalhadora perca o emprego, aquilo poderia ser usado como uma garantia para pagar o crédito consignado. Especificamente o que foi sugerido é uma parcela da multa — disse o ministro, acrescentando: — Não é para você pagar o crédito consignado. É usar o FGTS para uma garantia, se eventualmente aquilo for necessário.

Ele descartou o uso do Fundo para consumo, e lembrou que o foco do governo hoje é trabalhar pela recuperação do investimento:

— Hoje, estamos focados mais no crédito para a recuperação do investimento. A recuperação da economia brasileira tem que ser puxada principalmente pelo investimento.

O ministro afirmou, contudo, que os brasileiros que tiverem recursos para consumir, não devem ter medo de fazê-lo:

— Obviamente, é bom que o consumo cresça. As pessoas que podem e têm recursos para consumir não devem ficar com medo disso, devem aproveitar os preços estão baratos em algumas áreas, como imóveis.

Barbosa também comentou a disparada do dólar, que fechou a quinta-feira em R$ 4,16, maior patamar desde o Plano Real. Ele afirmou que a alta da moeda americana se deve a vários fatores, entre eles, a queda nos preços de commodities importantes para o Brasil, como petróleo e minério, e à turbulência nos mercados em função da desaceleração da economia chinesa. O ministro destacou, contudo, que o Brasil tem um regime de câmbio flutuante e reservas elevadas que servem justamente para proteger o país dessa volatilidade:

— É bom destacar que, nas últimas semanas, houve uma queda em várias bolsas no mundo, não só na brasileira. É uma volatilidade. Temos um sistema de câmbio flutuante para lidar com isso e, mais importante, temos elevado estoque de reservas internacionais que nos protege contra flutuações muito abruptas como as do câmbio.

O Globo