Grupo protesta contra a reforma da Previdência em João Pessoa

Manifestantes caminharam pelas ruas do Centro de João Pessoa contra a Reforma da Previdência (Foto: Gabriel Costa/G1)

Manifestantes protestaram contra a reforma da Previdência e Trabalhista em João Pessoa, na tarde desta quarta-feira (15). O grupo saiu às 14h em caminhada da Avenida Getúlio Vargas, no Centro da cidade, onde fica localizado o prédio da Dataprev, até a Rua Elizeu Cesar, onde houve ato em frente à sede da Previdência Social.

Participaram da manifestação centrais sindicais, movimentos sociais e partidos políticos. Segundo a organização, cerca de 3 mil pessoas compareceram ao protesto. A estimativa da Polícia Militar, no entanto, é de aproximadamente 2 mil pessoas.

Os manifestantes foram às ruas com faixas e cartazes protestando contra a “privatização dos Correios” e o “golpe”, além das reformas da Previdência e Trabalhista.

A Superintendência de Mobilidade Urbana (Semob) de João Pessoa acompanhou o protesto, bloqueando as vias enquanto os manifestantes passavam e fazendo os desvios necessários.

Também como parte da manifestação, alguns serviços foram paralisados nesta quarta-feira. As aulas da rede estadual, Universidade Federal da Paraíba e Universidade Estadual da Paraíba foram suspensas durante todo o dia. Os bancários paralisaram as atividades por uma hora, das 10h às 11h, na principal agência do Banco do Brasil em João Pessoa, no Centro da cidade.

Paralisação dos professores contra a reforma da Previdência Social reuniu também outras classes trabalhadores em protesto na tarde desta quinta-feira (15) em João Pessoa (Foto: Gabriel Costa/G1)Paralisação dos professores contra a reforma da Previdência Social reuniu também outras classes trabalhadores em protesto na tarde desta quinta-feira (15) em João Pessoa (Foto: Gabriel Costa/G1)

Campina Grande
Também houve protesto e paralisação em Campina Grande. Representantes de centrais sindicais e de sindicatos caminharam pelo Centro da cidade em protesto contra a Reforma da Previdência e Trabalhista. Os manifestantes caminharam da sede do Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS) até o prédio da Empresa de Correios e Telégrafos (ECT).

O trânsito ficou interrompido na área central de Campina Grande durante a passeata. A aglomeração de pessoas começou por volta das 8h, mas a caminhada dos manifestantes começou às 9h30 e foi encerrada por volta das 12h.

De acordo com organizadores do protesto, cerca de 350 pessoas participaram da manifestação. A Polícia Militar não informou estimativa de participantes.

Reformas do governo federal
A reforma da Previdência proposta pelo governo prevê, entre outras coisas, a idade mínima de 65 anos para a aposentadoria. A gestão Temer também apresentou um projeto para mudar a legislação trabalhista. Uma das ideias é permitir que negociações coletivas se sobreponham à lei.

Gi-PB