João Pessoa 26/05/2019

Início » Câmara em foco » Há 21 dias em greve, servidores de Santa Rita aprovam mobilização nas escolas e mandado segurança para garantir movimento

Há 21 dias em greve, servidores de Santa Rita aprovam mobilização nas escolas e mandado segurança para garantir movimento

Os servidores de Santa Rita-PB, em greve avaliaram positivamente nesta segunda-feira (11), e decidiram pelo continuidade do movimento grevista que está paralisado a 21 dias e que até o presente momento a gestão Panta na apresentou uma proposta de reajuste salarial e o terço de férias, que nos  últimos dias o movimento recebeu apoio da Câmara de Santa Rita, no entanto, o sindicato impetrou mandato de segurança para garantir os dias paralisados pela legalidade do movimento que prestes a completar três anos sem reajustes, terço de férias e o descumprimento do PCCR, além do descumprimento do piso salarial do mínimo dos vigilantes e pessoal de apoio da educação extensivo a todos os servidores da prefeitura.

“O movimento êxitoso, com 70% das escolas e creches municipais que aderiram ao movimento que na avaliação de todas assembleias geral foram analisadas e votadas por unanimidade e que ao completar 21 dias a prefeitura acuada não apresentou proposta e nem tão pouco tentou, ainda pela ilegalidade da greve na justiça, que são três anos sem reajustes e a negativa de terço de férias que a lei orçamentária com  recursos oriundos das transferências das receitas federais comprovam a existência do recursos que falta mesmo é gestão e falta de boa vontade para aplicabilidade dos recursos,”, declarou o professor Feitosa.

Para o presidente do sindicato José Farias disse que são inúmeras ações impetradas em defesa dos servidores, inclusive mandado de segurança para garantir o direito dos mesmos, além das visitas na Procuradoria de Justiça tendo em vista o orçamento na secretaria de educação que segundo a gestão municipal alega que não pode reajustar salários dos servidores devido o limite prudencial da folha que não pode ultrapassar os 54% e que segundo os servidores ficou comprovado o inchaço na folha de pagamento de outras secretarias sem ocupações que impede conceder quaisquer tipo de reajuste a qualquer servidor no município, que na audiência pública prevista para quita-feira os vereadores da Câmara de Santa Rita solicitaram o TCE-PB e O MP explicar aos servidores e acabar com o impasse, afirmou o sindicalista.

Por fim, na assembleia geral ainda foi aprovada por unanimidade uma nova assembleia geral para quinta-feira (14), às 08 horas, na sede do sindicato, tendo como objetivo de caminhar pelas ruas no Centro da cidade com destino à Câmara de Santa Rita para uma Audiência Pública com os vereadores e secretários da prefeitura de Santa Rita para dar explicações aos servidores sob o inchaço na folha de Pagamento, reajuste de salários e terço de férias que não foi concedido em três anos.

Lamartine do Vale