Helton Renê critica projeto de Estela que pretende tirar exclusividade de leituras bíblicas na ALPB: “parece democrático, mas é a descaracterização da nossa identidade como povo”

O vereador licenciado e secretário da Secretaria Municipal de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon-JP), Helton Renê (PcdoB), divulgou nota nesta quinta-feira (30), comentando sobre o polêmico projeto da deputada estadual Estela Bezerra (PSB), que pretende tirar a exclusividade da leitura bíblica no início das sessões na Assembleia Legislativa da Paraíba, permitindo o uso de textos de outras religiões.

Para o secretário, o projeto parece ser algo democrático no sentido mais amplo da palavra, mas só parece. Com posturas firmes, o vereador que é formado em Direito, se baseou na própria Constituição, quanto ao Estado laico.

“Mesmo tendo profundo respeito pela deputada, tentando compreender sua intenção, não poderia deixar de me manifestar sobre o episódio, ao tentar dissociar o texto Bíblico do início das atividades na Assembléia, a deputada não percebeu que ela contribui com a descaracterização de nossa identidade como um povo”, explica Renê.

A proposta de Estela Bezerra ainda será levada para votação no plenário, mas já recebeu sete votos contrários na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ). O projeto também foi repudiado por vereadores da Câmara de João Pessoa nessa quarta-feira (30)

Confira o texto de Helton Renê na íntegra:

Quem acompanha meu trabalho sabe que não gosto de entrar em polêmicas e não uso a imprensa como palco para teatro, porém diante desse episódio não poderia deixar de me manifestar. O projeto da Deputada Estela Bezerra, parece ser algo democrático no sentido mais amplo da palavra, mas SÓ PARECE, e mesmo tendo profundo respeito pela Deputada, tentando compreender sua intenção, não poderia deixar de me manifestar sobre o episódio.

Ao tentar dissociar o texto Bíblico do início das atividades na Assembléia, a Deputada não percebeu que ela contribui com a descaracterização de nossa identidade como um Povo. Devo lembrar que embora o discurso de Estado Laico seja recorrente na boca de quem não estudou o Direito a profundo, isso não anula a característica de um Povo como um todo. Essa é a nossa identidade: a Bíblia. O Cristianismo. E muito embora existam outras manifestações religiosas e crenças em tudo o que se serve de forma diminuta em comparação à grande massa do Povo, a Bíblia é antes de tudo nossa fonte poderosa, não só sob o prisma da Fé, mas como bússola de nosso comportamento em sociedade, costumes e moral, e isso não sou eu quem falo, mas grandes estudiosos que pude ter o prazer de me debruçar em seus textos e entender a grandeza e profundidade desse livro, muitas vezes apresentado sobre uma capa preta.

Como disse, o projeto PARECE ser bom, um caminho que PARECE bom de se trilhar, mas até para esse episódio a Bíblia fala sobre caminhos, a saber: “Há caminho que parece direito ao homem, mas o seu fim são os caminhos da morte.” PV 16:25

Blog do Anderson Soares