Hervázio acusa prefeito de Santa Rita de orquestrar vaia para Ricardo - :: Paraiba Urgente :: Portal de Notícias

Hervázio acusa prefeito de Santa Rita de orquestrar vaia para Ricardo

gervásioO líder do Governo na Assembleia Legislativa, deputado estadual Hervázio Bezerra (PSDB), criticou abertamente o prefeito de Santa Rita, Reginaldo Pereira (PRP), pelas vaias dadas ontem de manhã ao governador Ricardo Coutinho (PSB) durante a solenidade de autorização de licitação para construir o Hospital Metropolitano do município. O tucano responsabilizou o prefeito pela “orquestração” da manifestação e ainda classificou seu comportamento como “cara de pau” e sinal de “falta de inteligência“.

Foi um ato de pura infelicidade o que aconteceu ontem em Santa Rita. O prefeito Reginaldo Pereira montou uma claque para vaiar o governador Ricardo Coutinho. Quando lhe perguntaram, ele disse que não tinha nada a ver com aquilo, mas era visível que pararam de vaiar depois que ele subiu no palanque. Que milagre foi esse? Pararam por que Reginaldo está bem na fita com a população? Obviamente não. Quem diz isso são os moradores e conterrâneos de Santa Rita. Pior foi a cara de pau do prefeito. Além de subir no palanque, ainda queria falar! Pisou na bola. O governador foi levar um hospital reivindicado há anos pelo povo e muito prometido pelos políticos. As vaias foram descabidas. Quem quer fazer oposição, faça, mas use de inteligência e prudência!

O Hospital Metropolitano de Urgência e Emergência de Santa Rita, maior obra na área da saúde, vai ser construído e equipado com investimentos superiores a R$ 100 milhões, sendo R$ 63,5 milhões destinados à construção e o restante na aquisição de modernos  equipamentos e mobiliário. A autorização do processo de licitação da obra foi assinada na manhã desta segunda-feira (30), pelo governador Ricardo Coutinho, na Praça João Pessoa, centro da cidade. A obra deve ser construída em 18 meses.

Além dos serviços de urgência, emergência, traumatologia, o Hospital Metropolitano de Santa Rita também terá uma maternidade de alta complexidade

Da Redação (com Parlamentopb)
WSCOM Online