Hungria prende mais um suspeito da morte de 71 refugiados na Áustria

hungria mortesPolícia forense isola caminhão onde cerca de 50 imigrantes foram encontrados mortos, no leste da Áustria, próximo à fronteira com a Hungria. As autoridades locais acreditam que as mortes ocorreram por sufocamento – 27/08/2015(Heinz-Peter Bader/Reuters)

As autoridades húngaras anunciaram neste domingo a prisão de um quinto suspeito de envolvimento na morte de 71 refugiados na Áustria. Em comunicado, a polícia húngara informou que deteve ontem à noite um cidadão da Bulgária que se soma aos outros quatro – três búlgaros e um afegão -, que tiveram a prisão preventiva decretada ontem por um tribunal de Kecskemét.

Enquanto isso, o Centro de Medicina Legal de Viena continua o processo de autópsia dos 71 corpos, possivelmente refugiados sírios, entre eles quatro crianças. Os corpos foram encontrados na quinta-feira em um caminhão frigorífico abandonado na beira da estrada austríaca A4. Os investigadores deverão esclarecer o momento e o lugar exatos das mortes. Se elas aconteceram na Hungria, como se acredita até agora, será a Promotoria de Kecskemét que ficará com o caso. Mas se o lugar tiver sido a Áustria, quem se ocupará da situação será a Promotoria de Eisenstadt.

A ministra do Interior austríaca, Johanna Mikl-Leitner, anunciou hoje medidas extraordinárias de controle policial nas estradas para lutar contra o tráfico de pessoas. “A mensagem é clara. Os traficantes serão capturados na Áustria e terminarão atrás das grades”, alertou a ministra. Ela advertiu ainda sobre a necessidade de trabalhos de cooperação internacionalmente, já que as redes de tráfico de pessoas se organizam para além das fronteiras nacionais. Prova disso é o caso que veio à tona ontem na Áustria: uma caminhonete interceptada pela polícia perto da fronteira com a Alemanha, onde foram encontrados 26 refugiados, entre eles três crianças que foram hospitalizadas em estado grave por desidratação.

Os refugiados vinham da Síria, do Afeganistão e de Bangladesh e estavam confinados em um espaço estreito com pouca ventilação. A caminhonete tinha placa da Espanha e, por isso, as autoridades austríacas pedirão a colaboração das espanholas para esclarecer o ocorrido.

(Com EFE)