Ibovespa marca novo recorde histórico e ultrapassa 109 mil pontos


Painel Bolsa de Valores B3  Foto: Renato Cerqueira/Futura Press

Ibovespa superou os 109 mil pontos pela primeira vez na história neste início de semana com leilão do pré-sal, expectativa com anúncio de medidas da equipe econômica e um passo à frente nas negociações comerciais entre Estados Unidos e China. Todas as blue chips apoiam a valorização do principal indicador da Bolsa brasileira, especialmente a Petrobrás e a Vale, que ignora a queda do minério de ferro e se atém à retomada da operação de algumas de suas minas

No mercado de câmbio, o dólar oscila ao redor do último fechamento, ora com variação positiva, ora negativa. Na última hora, chegou a subir e renovar máxima em R$ 4,0028 (+0,20%) no mercado à vista. Segundo um operador, a queda da cotação ao nível dos R$ 3,97 na mínima do dia estimulou alguns investidores a recompor, ainda que parcialmente, posições compradas na moeda. Paralelamente, o Índice Dollar Index (DXY) segue com leve sinal positivo, após sinais de avanço nas negociações comerciais entre EUA e China.

No mercado de juros futuros, as principais taxas rondam os ajustes da sexta-feira após iniciarem a sessão em baixa. Às 10h44, o Ibovespa subia 0,83% aos 109.096 pontos. A ON da Petrobrás subia 1,62%. A ON da vale avançava 2,29%. O dólar à vista subia 0,02% aos R$ 3,9958. O DI para janeiro de 2021 exibia 4,47% ante 4,46% no ajuste de sexta-feira.

No caso de Petrobrás, os investidores estão atentos à 6ª Rodada de Partilha de Produção, prevista para o dia 7, além do megaleilão, que previsto para o dia anterior, a quarta-feira, 6. Somente com o megaleilão, a perspectiva é de arrecadar até R$ 106 bilhões. Esta estimativa está sendo recalculada por alguns agentes, segundo um profissional do mercado.

Estadão