‘Império’: Maurílio instala câmeras na sala de José Alfredo e se diverte com discussão entre ele e Merival

Maurilio rindoCom a volta de José Alfredo (Alexandre Nero) à empresa, Maurílio (Carmo Dalla Vecchia) decide monitorar os passos e atitudes do comendador, em “Império”. Ele aproveita um dia sem expediente na firma e contrata uma empresa de segurança para instalar as câmeras na sala do homem de preto. “Vou querer a câmera instalada aqui atrás. O local é discreto, tem visão privilegiada de toda a sala… Não quero que os galhos da planta atrapalhem a visão. Façam o serviço o mais rápido que puderem…”, ordena o vilão.

Acompanhado por Daniele (Maria Ribeiro) ele se vangloria de sua estratégia. “Escutar por trás das portas é coisa do passado. Além de arriscado, é a técnica preferida que essa família maldita tem pra conspirar. Vou mostrar que até pra isso eu sou melhor do que eles!”, afirma.

Na mesma noite, José Alfredo marca encontro com Merival (Roberto Pirillo) na Império. “Queria falar a sós com você, para saber quais são seus planos daqui pra frente, Merival… Ou será que eu devo te chamar de Fabrício Melgaço?”, alfineta o comendador. “Desculpa, comendador, mas não entendi. Quem é Fabrício Melgaço, e por que eu deveria ser chamado…”, indaga o advogado, que logo é cortado por José Alfredo. “Não se faça de desentendido, seu cabra! Fabrício Melgaço é meu maior inimigo! Ele foi ao banco lá na Suíça, rapou minhas contas e já mandou me matar duas vezes”, brada o comendador.

José Alfredo afirma que tem certeza que o advogado é seu maior rival. “Porque alguém botou seu nome na pedra e lhe dedurou… Você é ele! Recebi um bilhete anônimo na cadeia!”, conta o homem de preto. “E por causa de um bilhete anônimo você me acusa. Sou o seu advogado, fiz de tudo pra te tirar da prisão, José Alfredo, estou do seu lado há mais de vinte anos”, diz, tentando contemporizar.

Mas o imperdor o corta: “E já me traiu antes, quando a Marta tentou me derrubar da presidência da empresa!”. Merival lembra que foi usado por ela por ter se apaixonado. “Eu… Facilitei as coisas pra ela, sim. Mas depois me arrependi, te alertei, você conseguiu impedir que ela levasse a conspiração adiante…”, relembra. “E agora resolveu conspirar você mesmo, e com Maurílio! Nesses vinte anos aprendeu o caminho das pedras, teve acesso a tudo que é meu, e pode muito bem ter descoberto os números e as senhas das minhas contas lá na Suíça”, enumera.

O advogado afirma que o cliente está cometendo a maior injustiça. Mas José Alfredo o manda confessar de uma vez. “A única coisa que eu posso confessar é que sou… Fui apaixonado pela Marta. Mas sempre te respeitei, nunca avancei o sinal, nem ela me deu a menor chance! Apesar de tudo que você fez com ela, a Marta te ama até hoje e faz questão de deixar isso bem claro”, garante. “E quanto ao Maurílio, de que buraco você desencavou aquele traste?”, indaga o comendador.

Nesse momento, Maurílio aparece no hotel, comendo pipocas e dando risada enquanto assiste pelo computador às imagens da câmera de segurança escondida na sala de José Alfredo, que continua a pressionar Merival: “Vamos, desembucha! Quem é o Maurílio? Um gigolô que você plantou na minha empresa só pra despistar?”. “Eu conheci o Maurílio na sua casa! E só passei a ter contato com o sujeito depois que você se deu ao luxo de morrer e ele passou a interferir na administração da empresa!”, explica.

José Alfredo, então, quer saber sobre Marta (Lilia Cabral). “Já te falei que ela te ama! Pensa bem: se eu fosse o tal de Fabrício sei/lá/o/quê… E se eu estivesse conspirando contra você… Seria mais fácil te deixar apodrecendo na cadeia enquanto fugia com o teu dinheiro e a tua mulher!”, constata o advogado. “Mas um dia eu ia sair de lá! E você sabe que eu sou carne de pescoço. Ia atrás de quem me traiu, não ia descansar um minuto até pegar o que era meu de volta. Por isso não queria só que ficasse na cadeia, queria me ver morto, e se Maurílio falhou daquela vez, aqui fora é mais fácil pra ele tentar de novo”, analisa o imperador.

Merival torna a garantir que não é a tal criatura de quem ele está falando. José Alfredo, então, afirma que ele vai ter que provar. “Faço ainda melhor. Eu podia até te processar por conta dessas acusações. Mas não vou fazer isso, pois sei que foi o desespero que te levou a me acusar. Não se preocupe, nunca mais chego perto de você nem da sua família e sua empresa. Não sou mais seu advogado. Amanhã mesmo mando alguém lá do escritório com a minuta da nossa quebra de contrato”, garante o advogado, que sai furioso da sala.

Extra Online