A população homoafetiva de Império, que já era bastante numerosa e sortida

‘Império’ terá mais um gay: Etevaldo, de André Gonçalves

etevaldo gayJosé Alfredo (Alexandre Nero) no garimpo, enquanto vive a sua “morte”

A população homoafetiva de Império, que já era bastante numerosa e sortida, vai ganhar mais um representante. Integrante da galeria dos gays da dramaturgia brasileira desde A Próxima Vítima (1995), em que fez o meigo Sandrinho e chegou a apanhar na rua, o ator André Gonçalves vai entrar na trama de Aguinaldo Silva para fazer par a Leonardo (Klebber Toledo), o ex-amante do cerimonialista Claudio Bolgari.

“Léo bota o nome na pedra de novo… E conhece o homem do surdo!”, anunciou Silva em seu blog, onde contou que Gonçalves vai viver o tocador de surdo da escola de samba de Santa Teresa, por onde Léo vai desfilar como intérprete de José Alfredo (Alexandre Nero) no Carnaval, em um enredo que homenageará o Comendador.

“Sabem qual é o problema da cura gay? É que os ‘curados’, mesmo que não o confessem ao pastor-psicólogo-lavador-de-cérebros, sempre têm recaídas”, continuou o autor no post. “Vejam o caso de Leonardo. Todo mundo me acusou de promover a cura gay só porque o rapaz fez amizade com uma mulher, a Amanda de Adriana Birolli. A acusação era injusta, pois em nenhum momento dei a entender que os dois tinham um caso. Mas a turma da Patrulha não dá atenção a esses detalhes, quer mais é ver o mundo com a cegueira dos seus próprios olhos, daí… Pois bem: Leo vai botar o nome dele na pedra de novo… E graças a Etevaldo, o rapaz que toca surdo na escola de samba União de Santa Teresa! ‘Amor de carnaval nunca dá certo’, diz Léo a Etevaldo quando é abordado por ele. Mesmo assim… É Carnaval, não é mesmo? E os dois, em plena folia, se enroscam.”

O caso vai ser a retomada da vida amorosa de Léo, que foi parar na sarjeta e virou mendigo — mendigato, veja bem — depois de ser abandonado por Claudio Bolgari, que se trancou no armário ao ter sua vida sexual dupla exposta pelo venenoso blogueiro Téo Pereira (Paulo Betti).

Os gays de ‘Império’

Téo Pereira (Paulo Betti)

Blogueiro sem escrúpulos, assume já nos primeiros capítulos de Império o plano de tirar à força do armário seu antigo colega de escola, Cláudio Bolgari (José Mayer), o que eventualmente acaba acontecendo. Para arquitetar suas maldades, Téo conta com a ajuda da jornalista Érika (Letícia Birkheuer), que enfrenta o trabalho até nos fins de semana para satisfazer as vontades do patrão. Como ninguém é de ferro, a “bicha má” da vez passa as horas livres bebericando seu uísque e pagando o sarado Robertão (Rômulo Neto) por strip-teases.

Veja