Inter perde pênalti, tem gol anulado e só fica no empate com Athletico em Porto Alegre

Buscando se aproximar do G4, o Internacional recebeu o Athletico Paranaense, no Beira-Rio, em Porto Alegre, no reencontro com os paranaenses após derrota na final da Copa do Brasil. Com a bola rolando, o Colorado protagonizou um jogo aberto com o Furacão e chegou a sair na frente. No entanto, com pênalti perdido e gol anulado, os gaúchos não conseguiram mais do que o empate: 1 a 1.

Com o resultado, o time comandado por Zé Ricardo chega aos 46 pontos e se mantém no G6, na sexta posição. Do outro lado, o Rubro-Negro, que já está garantido na Libertadores, permanece na oitava colocação, com 43. Jogo aberto e um gol para cada lado O jogo começou em ritmo intenso em Porto Alegre. O Inter, com uma postura bem agressiva, pressionou a saída de bola do Furacão, dificultando a troca de passes do adversário.

A intensidade colorada foi premiada aos 11. Rodrigo Lindoso recebeu bom passe de Guerrero, e saiu completamente livre, frente a frente com Santos. O volante, com categoria, tocou por cima e abriu o placar no Beira-Rio. O gol chegou a ser avaliado pelo VAR, mas foi validado em seguida.

Após o gol sofrido, o Athletico resolveu sair mais para o ataque, e não demorou para empatar o confronto. Aos 21, Madson passou por Zeca e cruzou para Rony, que emendou num lindo voleio para deixar tudo igual no placar. Um golaço! Da metade para o fim da primeira etapa, o jogo ficou ainda mais aberto. O Furacão teve grandes oportunidades para virar, mas Nazário, Rony, Marco Rubén e Nikão não aproveitaram as chances.

Do outro lado, o Inter chegou com Guerrero, que tirou tinta da trave, mas não entrou. Pênalti perdido, gol anulado e empate mantido Na volta do intervalo, o Colorado entrou com uma postura ainda mais ofensiva. Na base da pressão, o time comandado por Zé Ricardo não permitiu que o Athletico marcasse presença no campo ofensivo.

Aos 19, o Internacional saiu em contra-ataque. Edenílson arrancou e serviu para D’Alessandro no meio. O camisa 10 bateu de fora da área, por cobertura, e mandou no travessão. Seria mais um lindo gol em Porto Alegre. Sufocando o Furacão, o time da casa continuou criando espaços no campo adversário.

Rodrigo Lindoso aproveitou sobra na entrada da área e emendou, com muito perigo, tirando tinta tinta da trave do goleiro Santos. A pressão surtiu efeito. Aos 33, Guerrero cruzou rasteiro, e Nico López chutou em cima de Márcio Azevedo na área, e ficou pedindo pênalti. Após consulta ao VAR, a arbitragem marcou pênalti. Na cobrança, Guerrero parou na defesa de Santos.

Na sequência, após cobrança de escanteio, a bola ficou viva na área e o peruano aproveitou rebote de finalização de Nico para balançar as redes. Porém, o VAR, em cima do lance, flagrou impedimento do uruguaio. Nada feito.

Depois do gol anulado, o time da casa ainda perdeu mais uma grande chance com Nico, que parou em boa defesa de Santos. Não deu tempo para mais nada. Fim de papo e igualdade no Beira-Rio: 1 a 1.

O Gol