A aviação israelense bombardeou posições das forças do regime sírio

Israel bombardeia posições do regime sírio

Israel bombardeia a siriaSoldados em tanque israelense vigiam fronteira com a Síria nas Colinas de Golã

A aviação israelense bombardeou na madrugada desta quarta-feira posições das forças do regime sírio na periferia da cidade de Al Quneitra, na Síria, na fronteira com as Colinas de Golã ocupadas por Israel. As posições do regime do ditador Bashar Assad atingidas foram um quartel e outras áreas próximas nos arredores de Al Quneitra. Não há informação sobre vítimas.

O exército israelense confirmou que sua Força Aérea atacou alvos militares sírios em resposta ao disparo de dois foguetes na terça-feira contra o lado da fronteira controlado por Israel. Ontem, o exército israelense disparou ao menos vinte projéteis de artilharia contra posições no lado sírio das Colinas de Golã, também como resposta pelo lançamento de dois foguetes que caíram em zonas desabitadas nas proximidades do Monte Hermon, na parte da Colinas que Israel ocupa desde 1967. O primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, advertiu ontem que “quem brinca com fogo se queima”, e disse que “Israel considera muito sério o ataque procedente do território sírio”.

Na semana passada, Israel aumentou suas forças nas fronteiras com o Líbano e a Síria, e reforçou as medidas de segurança em toda a zona, após atacar com avião não tripulado um comboio do grupo extremista libanês Hezbollah, que circulava pela parte síria das Colinas de Golã. No ataque morreram seis membros do Hezbollah – entre eles um jovem oficial que era filho do ex-chefe de seu braço armado Imad Mughniye, assassinado em Damasco em 2008 – e um general da Guarda Revolucionária iraniana.

Resposta iraniana – O Irã afirmou aos Estados Unidos que o ataque aéreo israelense que matou um general iraniano na Síria cruzou a “linhas vermelhas” e que a República Islâmica vai retaliar, disse um representante de alto escalão do governo iraniano nesta terça, segundo a agência estatal de notícias Irna. “Dissemos aos americanos que os líderes do regime sionista devem esperar pelas consequências de seus atos”, disse o vice-chanceler iraniano, Hossein Amir Abdollahian.

Uma graduada fonte de segurança israelense disse que as forças de Israel acreditavam estar atacando guerrilheiros de baixo escalão. Israel não proferiu comentários oficiais sobre o ataque. Abdollahian disse que o Irã entregou a mensagem a representantes dos EUA através de canais diplomáticos. Os dois países não mantêm relações diplomáticas diretas desde a revolução de 1979 no Irã, mas os EUA têm participado das negociações internacionais com Teerã a respeito de seu programa nuclear. Os interesses dos americanos são representados pela missão suíça em Teerã.

(Com agências Reuters e EFE)