João Pessoa tem maior número de fraudes com imóveis em quatro anos, diz DDF

‘Falsos corretores’ de imóveis foi um caso de destaque no mês de agosto em João Pessoa (Foto: Hermano Azevêdo/CRECI-PB/Arquivo)

O número de casos de fraudes envolvendo imóveis é o maior em quatro anos, em João Pessoa, segundo dados da Delegacia de Defraudações e Falsificações (DDF). Até agosto deste ano, 90 fraudes foram identificadas, número que já supera 2016, que teve 89 casos. Em relação a 2014, o aumento foi de 270% nas fraudes. Na tarde da quarta-feira (30), dois homens foram presos suspeitos de fraudes de R$ 200 mil em vendas de imóveis.

Neste mês, dez pessoas foram presas suspeitas de fraudes em negociações de imóveis na capital. O prejuízo gira em torno de R$ 1,7 milhão. A Delegacia de Defraudações e Falsificações é a responsável por elucidar casos que envolvem estelionato e fraudes. Segundo o delegado Lucas Sá, a maior parte das negociações são realizadas através da internet, por meio de aplicativos de compra e venda.

Como fugir de golpes

O coordenador de fiscalização do Creci-PB, Hermano Azevêdo, disse que a melhor maneira da população fugir desse tipo de golpe é observando se no anúncio tem o número do cadastro do corretor no Conselho Regional dos Corretores de Imóveis, a não ser que seja uma negociação direto com o dono.

Se houver a suspeita do corretor ou do imóvel, o Creci deve ser consultado para esclarecimentos, informa o coordenador. Ele disse que em 2016 foram 136 “falsos corretores” autuados e, até agosto deste ano, foram 90.

G1.com