João Pessoa 21/05/2019

Início » Mundo » Jornalista investigativo revela preços ‘fictícios’ dos caças F-35

Jornalista investigativo revela preços ‘fictícios’ dos caças F-35

A Lockheed Martin, o gigante da indústria militar dos EUA, concordou em reduzir o preço de seus caças furtivos F-35 em 10%, uma vez que a Boeing também está fazendo uma oferta e ela está sendo ponderada como opção alternativa pelos militares dos EUA.

O próprio presidente americano Donald Trump criticou várias vezes o programa dos F-35 como estando “fora de controle”.

A Lockheed Martin fez uma nova proposta de preço ao Pentágono do seu caça mais acessível, o F-35A.

Caça F-35 norte-americano

A empresa propõe vender as aeronaves por menos de US$ 80 milhões cada, no caso de o Departamento de Defesa americano comprar 100 aparelhos, informou o portal de notícias Defence One. O preço de cada avião no acordo assinado em setembro era de US$ 89,5 milhões. Em 2017, a empresa vendia os F-35 por US$ 94,6 milhões.O repórter investigativo Dave Lindorff disse à Sputnik International que os verdadeiros custos de produção de aviões tanto da Lockheed como da Boeing são muito inferiores ao preço que é pedido pelas empresas.

“Este é o exemplo perfeito e a razão de os EUA terem o equipamento militar mais caro do mundo. É o que Seymour Melman, engenheiro industrial da Universidade de Columbia e crítico de longa data das Forças Armadas americanas, chamou de ‘capitalismo do Pentágono'”, sublinha Lindorff.

Segundo Dave Lindorff, os fabricantes de armamento tais como a Lockheed Martin e a Boeing negociam contratos baseados em custos inflacionados artificialmente, o que lhes garante um bom lucro independentemente das inevitáveis derrapagens, sendo que às vezes leva vários anos ou até mesmo várias décadas até que o armamento passe da fase de projeto e chegue à produção. O resultado é que o preço do armamento tem pouco ou mesmo nada a ver com os verdadeiros custos de produção.

Lindorff explicou que toda essa situação se agrava ainda mais quando o Departamento de Defesa dos EUA adiciona novos requisitos ou introduz mudanças na missão à qual a arma é destinada.

Caças norte-americanos F-35A Lightning II durante um voo de treinamento

O repórter de investigação ressaltou ainda que, se a Lockheed é capaz de cortar o preço de cada aeronave logo em US$ 10 milhões, isso somente prova que o preço foi inflacionado artificialmente.O programa de produção dos caças F-35 é conhecido como o sistema de armamento mais caro dos EUA, tendo sido várias vezes criticado por Donald Trump devido a seus problemas de fiabilidade desde que este foi eleito presidente e prometeu reduzir os gastos nas aquisições militares.

Porém, Dave Lindorff acredita que, enquanto os maiores fornecedores do país lutam por contratos lucrativos, quem está realmente a perder são os cidadãos americanos.

Sputnik