JP já tem 350 inquéritos de violência contra a mulher e 65 homens presos em flagrante - :: Paraiba Urgente :: Portal de Notícias

JP já tem 350 inquéritos de violência contra a mulher e 65 homens presos em flagrante

delegacia da mulherA Delegacia da Mulher de João Pessoa já abriu 350 inquéritos referentes a violência doméstca e 65 homens foram presos em flagrante somente nos dois primeiros meses de 2014 na Capital.De acordo com informações da delegada adjunta da Mulher, Desirée Vasconcelos, nos outros 285 inquéritos, os acusados podem ser presos se descumprirem medidas protetivas, como por exemplo a de ficar a menos de 200 metros da vítima.Ela informou que foram registrados, ainda, cinco casos de estupro contra mulheres em João Pessoa entre os meses de janeiro e fevereiro deste ano. Na grande maioria dos casos, os acusados são companheiros, ex-companheiros, maridos e ex-maridos. A pena para esses casos, segundo a delegada, é de três anos de prisão, conforme a Lei Maria da Penha.

Outro dado fornecido pela delegada é de que a violência contra a mulher atinge todas as classes sociais.

A secretária da Mulher e da Diversidade Humana do Estado, Gilberta Soares, informou que o governo está disponibilizando um aplicativo para que a mulher possa contatar a polícia quando estiver correndo risco de violência.

O aplicativo usado através do telefone celular poderá informar aos policiais qual o número que está pedindo ajuda, onde e quem está portando o equipamento.

Gilberta explicou que ele estará integrado às polícias civil e militar, através das delegacias da mulher de João Pessoa e Campina Grande e o Centro Integrado de Operações Policiais (Ciop).

“Os policiais em ronda já disporão das informações necessárias, ou seja, quais as mulheres que estão sob proteção e que elas estarão com o dispositivo para sua proteção”, informou.

Gilberta informou, ainda, que existe uma casa abrigo em João Pessoa para aquelas mulheres que não têm para onde ir e estão sob ameaça. “O local tem endereço confidencial e é para os casos em que a mulher precisa ficar em moradia protegida. O abrigo recebe tanto a mulher como filhos menores de 16 anos”, completou.

SOS Mulher

O governador Ricardo Coutinho falou nessa sexta-feira (7) sobre a nova ferramenta que a mulher pode utilizarpara denunciar e se proteger da violência.

Portal Correio