Juiz da Lava Jato dá oito dias para últimos argumentos de Lula no caso do sítio de Atibaia

Juiz da Lava Jato dá oito dias para últimos argumentos de Lula no caso do sítio de Atibaia

Preso há dez meses, petista foi condenado por crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro

O juiz Luiz Antônio Bonat, que substituiu o ministro Sérgio Moro (Justiça) como titular da 13ª Vara Federal, em Curitiba, e responsável pelos processos da Lava Jato em primeira instância, concedeu prazo de oito dias para a defesa do ex-presidente Lula apresentar seus argumentos na apelação contra a condenação no caso do sítio de Atibaia (SP). O mesmo prazo vale para outros 12 condenados na ação.

Essa é a última etapa antes do envio do processo ao Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4) para julgamento em segunda instância. Lula foi condenado a 12 anos e 11 meses pela juíza substituta Gabriela Hardt pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro, mas o Ministério Público Federal (MPF) entrou com apelação para imputar novos crimes e aumentar a pena do petista.

De acordo com o MPF, Lula recebeu propina das empreiteiras OAS a Odebrecht em forma de uma grande reforma, no valor de R$ 870 mil, no sítio Santa Bárbara. O petista nega ser proprietário do imóvel, mas o MPF alega que Lula é o dono de fato e maior frequentador do local, o que pode ser comprovado por dezenas de objetos pessoais e personalizados para ele e demais membros da família.

O MPF afirma que Lula recebeu R$ 150 mil em propina do Grupo Schahin, por meio de José Carlos Bumlai. Além de Lula, foram condenados Marcelo Odebrecht, José Adelmário Pinheiro (Léo Pinheiro) e Fernando Bittar, que é o dono, no papel, do sítio e sócio de um filho do petista.

Diário do Poder