Julian Lemos critica postura de Bolsonaro e de seus filhos: ‘todo mundo vira traidor’


“Após o primeiro turno, eu senti que o clima não estava legal”, disse o deputado (Foto: Reprodução)

O deputado federal paraibano Julian Lemos participou nesta segunda-feira (02) do Pânico, da rádio Jovem Pan, e teceu duras críticas ao presidente Jair Bolsonaro e seus filhos. Aliados de primeira hora nas últimas eleições, os dois acabaram se afastando neste ano de 2019 após o racha no PSL que culminou com a saída de Bolsonaro da legenda para fundação de outro partido.

De acordo com Julian Lemos, as pessoas que estão no entorno de Jair Bolsonaro agem para destruir reputações. Além disso, todos os que fazem críticas ao presidente ou aos seus filhos são apontados como inimigos.

“Há um trabalho para destruir várias pessoas que eles compreendem como desafetos, destruindo reputações mesmo”, declarou Julian Lemos. “Acho o presidente um cara honesto, mas ele tem umas situações de ingratidão que machucam. Ele sai destruindo a reputação, todo mundo vira traidor. […] Os deputados do PSL são mal tratados. Tem deputado lá que não tem valor de nada”.

“Após o primeiro turno, eu senti que o clima não estava legal”, disse o deputado. O atentado que Bolsonaro sofreu em Juiz de Fora (MG), em setembro do ano passado, piorou as coisas. “Potencializou uma ideia de que há uma conspiração, de que querem matar [Bolsonaro]. Eu senti que existia toda hora ali gente querendo me ferrar”, confessou.

Julian ainda chegou a citar os filhos de Bolsonaro e criticou a forma como interferem nos assuntos do Governo. “O Eduardo é muito orgulhoso e, às vezes, machuca as pessoas. Eu o vi chamar os deputados do PSL de favelados”, afirmou.

Julian chegou a exercer a função de coordenador da campanha eleitoral no Nordeste ainda em 2018. Agora, sob o ponto de vista do parlamentar paraibano, “os deputados do PSL são maltratados. Tem deputado lá que não tem valor de nada”.

Julian Lemos ainda criticou a saída de Jair Bolsonaro do PSL. O presidente tem um novo partido, o Aliança pelo Brasil. “Não tenho motivos para sair do PSL, nem o presidente Bolsonaro tinha”, disse. Ele garantiu que o presidente da sigla, Luciano Bivar, cumpriu todas as promessas feitas ao capitão. “Eu sou testemunha de que Bivar cumpriu tudo.”

ClickPB