João Pessoa 23/03/2019

Início » Brasil » Justiça aceita denúncia contra investigados por pagamento de propina no BRB

Justiça aceita denúncia contra investigados por pagamento de propina no BRB

A Justiça Federal aceitou nesta quinta (7) a denúncia do Ministério Público Federal, no âmbito da Operação Circus Maximus, contra 17 pessoas acusadas de praticarem irregularidades em investimentos realizados pelo Banco de Brasília (BRB), em um esquema de pagamento de propina que ocorria desde 2014.

Na decisão, o juiz federal Vallisney Oliveira, da 10ª Vara de Justiça Federal em Brasília, afirmou que “está demonstrada até agora a plausibilidade das alegações contidas na denúncia em face da circunstanciada exposição dos fatos tidos por criminosos e as descrições das condutas em correspondência aos elementos que instruem a denúncia”.

Entre os agora réus está o ex-presidente do BRB do governo de Rodrigo Rollemberg (PSB), Vasco Cunha Gonçalves, que chegou a ser preso em janeiro deste ano. Cunha e outras 16 pessoas (confira os nomes abaixo) responderão por crimes contra o sistema financeiro, gestão fraudulenta, corrupção, lavagem de dinheiro, entre outros.

Além da condenção pelos crimes, o MPF pediu o confisco de valores dos envolvidos e o pagamento de uma indenização correspondente ao triplo das quantias desviadas por cada um. Procuradores estimam um prejuízo de R$ 348 milhões ao BRB, participantes de fundos de pensão, poupadores.

Com o pagamento de propina a ex-dirigentes do banco, recursos de fundo de pensão de estatais, órgãos públicos e do próprio BRB eram liberados para financiar projetos que davam prejuízo. Os investimentos teriam ocorrido em, pelo menos, dois investimentos: o FIP LSH, relacionado ao antigo Trump Hotel, no Rio de Janeiro; e o FII SIA, relacionado ao empreendimento Praça Capital, desenvolvido pela Odebrecht.

Eram emitidas notas frias a fim de “branquear dinheiro em espécie acumulado, que não poderia entrar novamente no sistema legítimo sem uma base negocial com aparência de legitimidade”. Foram apuradas ainda troca de e-mails com informações privilegiadas entre os acusados. Os dados trariam ganhos financeiros ilícitos aos envolvidos nos esquemas.

Confira a lista dos denunciados:

1. Ricardo Luís Peixoto Leal, ex-conselheiro do BRB, arrecadador de campanha de Rodrigo Rollemberg e apontado como chefe da organização;
2. Henrique Domingues Neto;
3. Henrique Leite Domingues;
4. Adonis Assumpção Pereira Júnior;
5 . Vasco Cunha Gonçalves, ex-presidente do BRB;
6 . Nilban De Melo Júnior, ex-diretor do BRB;
7. Arthur César De Menezes Soares Filho;
8 . Paulo Renato De Oliveira Figueiredo Filho;
9 . Ricardo Siqueira Rodrigues;
10. Felipe Bedran Calil;
11. Felipe Bedran Calil Filho;
12. Nathana Martins Bedran Calil;
13. Diogo Rodrigues Cuoco;
14. Adriana Fernandes Bijara Cuoco;
15. Paul Elie Altit;
16. Paulo Ricardo Baqueiro De Melo;
17. Dilton Castro Junqueira Barbosa.

Diário do Poder