Justiça cancela jogo entre Botafogo-PB e Náutico desta segunda, 27 - :: Paraiba Urgente :: Portal de Notícias

Justiça cancela jogo entre Botafogo-PB e Náutico desta segunda, 27

 copa do nordeste iA decisão tomada pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) de interditar o Estádio Almeidão, tomada na última sexta-feira, 24, resultou na mudança do local do jogo entre Botafogo-PB e Náutico (PE). A partida, que aconteceria em João Pessoa, foi transferida para Goianinha, em Pernambuco, porém, o pedido de reconsideração desta decisão na justiça fez com que a partida fosse suspensa.

O pedido foi feito pelo vereador de João Pessoa, Renato Martins (PSB), e o jogo será remarcado após os problemas do estádio terem sido resolvidos. Se acordo com o parlamentar, os torcedores do Botafogo-PB não podem ser prejudicados por causa da CBF.

Sobre o fechamento do Almeidão

O estádio Almeidão foi interditado pelo STJD pelo presidente do tribunal, Flávio Zveiter, que ainda solicitou a abertura de inquérito para apurar responsabilidades da CBF e da Federação Paraibana de Futebol, após a briga de torcidas que aconteceu no local.

Ainda em obras, o local foi palco da partida entre o Belo e o Sport (PE) no dia 19 de janeiro, e dos 42 mil torcedores que podem ocupar o espaço, apenas oito mil ingressos foram liberados. Ainda com a liberação, um laudo feito pela Polícia Militar, emitido neste ano, afirmava que o estádio não tinha condições de uso.

No segundo tempo da partida os entulhos que estavam nas arquibancadas foram utilizados pelos torcedores durante uma confusão. A ação da Polícia atingiu não apenas os torcedores, mas também os jogadores que estavam no campo.

Dias após a briga no estádio, o procurador-geral do STJD, Paulo Schmitt, pediu a interdição do Almeidão, além da apuração para saber quem permitiu a realização do jogo. O procurador-geral destacou que o estádio foi liberado sem a prévia autorização das autoridades competentes, sugerindo um “erro grosseiro” da Federação Paraibana de Futebol, a quem compete “providenciar as medidas locais de ordem técnica e administrativa, necessárias e indispensáveis à logística e segurança das partidas”, bem como “informar à CBF, até 30 dias antes do início das competições, os possíveis impedimentos à utilização dos estádios”.

Tanto a Federação Paraibana de Futebol quanto a CBF foram denunciadas com base no artigo 191 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD), que trata de punições relativas à administração desportiva e prevê multas que variam de R$ 100 a R$ 100 mil, além de suspensão ou advertência.

da Redação (com Estadão)
WSCOM Online