Justiça concede mais 30 dias para investigação contra Neymar

Justiça concede mais 30 dias para investigação contra Neymar

No dia 31 de maio, a modelo Najila Trindade registrou um boletim de ocorrência contra o jogador Neymar por estupro

O inquérito que apura a denúncia de estupro contra o jogador Neymar terá mais 30 dias para ser concluído. A decisão foi tomada nesta sexta-feira (12), após pedido da delegada Juliana Lopes Bussacos, da 6ª Delegacia de Defesa da Mulher de São Paulo.

A juíza Ana Paula Gomes Galvão Vieira de Moraes, da Vara de Violência Doméstica Familiar contra a Mulher do Fórum de Santo Amaro, concedeu o prazo para que novas provas sejam coletadas. Entre as diligências está a análise das imagens das câmeras de segurança do hotel em Paris, onde teria ocorrido o crime.

Segundo a promotora de enfrentamento à violência doméstica Estefânia Paulin, que acompanha o caso, os vídeos já estão no Brasil, mas os investigadores ainda não tiveram acesso porque aguardam autorização judicial. “Apesar de ser um caso sigiloso, isso já vem sendo divulgado, que a polícia francesa já remeteu para o Brasil as imagens. Essas imagens são importantes e, para que sejam juntadas em inquérito judicial, elas necessitam de autorização judicial.”

A promotora esclarece que o inquérito pode ser concluído antes do prazo terminar. No dia 31 de maio, a modelo Najila Trindade registrou um boletim de ocorrência contra o jogador Neymar. Desde então, várias pessoas envolvidas no caso, inclusive a modelo e o atacante, prestaram depoimento.

Najila Trindade acusa Neymar de estupro e agressão durante um encontro em Paris, no dia 15 de maio. O jogador do PSG tem negado as acusações.

*Com informações de Afonso Marangoni