Justiça decreta bloqueio de até R$ 160 milhões de Dirceu e outras seis pessoas ligadas a ele.

BLOQUEIO DE DIRCEUO ex-ministro da Casa Civil José Dirceu – André Coelho / Agência O Globo (04/11/2014)

SÃO PAULO – O juiz Sérgio Moro, da 13ª Vara Federal do Paraná, decretou o bloqueio de R$ 160 milhões das contas bancárias do ex-ministro José Dirceu, de sua empresa, a JD Assessoria e Consultoria Ltda, das contas de seu irmão, Luiz Eduardo de Oliveira e Silva, e outras cinco pessoas ligadas ao ex-ministro. Cada um dos oito investigados tiveram bloqueados valores de até R$ 20 milhões cada. Dirceu foi preso nesta segunda-feira.

Além de Dirceu, da JD e de seu irmão, o juiz mandou bloquear ativos nas contas da TGS Consultoria e Assessoria em Administração, de propriedade de Júlio Cesar dos Santos, que já foi sócio da JD Consultoria. É que a casa de Vinhedo reformada pelo lobista Milton Pascowitch, ao custo de R$ 1,3 milhão, vizinha à residência de José Dirceu, estava em nome da TGS de Júlio Cesar. Dirceu vinha usando essa casa como escritório.

Para força-tarefa, Dirceu era idealizador do esquema de corrupção na Petrobras

O juiz decretou o bloqueio de até R$ 20 milhões também das contas do próprio Júlio Cesar dos Santos. O bloqueio atingiu também as contas de Roberto Marques, o Bob, assessor especial do ex-ministro. Sofreram bloqueio também Fernando Antonio Guimarães Hourneaux de Moura e seu irmão, Olavo Hourneaux de Moura Filho.

Quatro filhos de Fernando Antonio Guimarães Hourneaux de Moura também sofreram bloqueio de até R$ 2 milhões: Anitta Erbella Hourneaux de Moura, Leonardo Erbella Hourneaux de Moura, Livia Erbella Hourneaux de Moura e Thiago Cotrofe Hourneaux de Moura.

Moro não atendeu pedido do MPF que desejava o bloqueio de contas da Editora 247, do jornalista Leonardo Atuch, “apesar das provas de pagamento a eles de valores decorrentes de acertos de propinas no esquema criminoso da Petrobras. Entendo que é necessário que a apuração seja previamente aprofundada e em processo a parte”.

O Globo