João Pessoa 11/12/2018

Início » Variedades » Justiça proíbe TV Globo de divulgar conteúdo de inquérito de Marielle

Justiça proíbe TV Globo de divulgar conteúdo de inquérito de Marielle

Emissora teve acesso a documento - Publicou reportagens em novembro - Afirma que irá recorrer de decisão

Marielle Franco e seu motorista foram assassinados em 14 de março, no Rio de Janeiro

TV Globo foi proibida de divulgar qualquer conteúdo do inquérito policial que investiga os assassinatos da vereadora Marielle Franco (Psol) e do motorista Anderson Gomes.

A emissora foi notificada neste sábado (17.nov.2018) da decisão do juiz Gustavo Gomes Kalil, da 4ª Vara Criminal do Rio de Janeiro, que deferiu 1 pedido da Divisão de Homicídios da Polícia Civil e do Ministério Público do Estado.

Segundo a emissora, o juiz disse que “o vazamento do conteúdo dos autos é deveras prejudicial, pois expõe dados pessoais das testemunhas, assim como prejudica o bom andamento das investigações, obstaculizando e retardando a elucidação dos crimes hediondos em análise”.

TV Globo teve acesso ao inquérito no dia 14 de novembro e divulgou duas reportagens sobre o tema. O juiz proíbe, agora, a emissora de divulgar, por exemplo, termos de declarações, técnicas e procedimentos sigilosos usados na investigação, e conteúdos de gravações de áudios de pessoas investigadas ou não.

A emissora afirmou que recorrerá da decisão.

A MORTE DE MARIELLE FRANCO

Marielle Franco foi morta a tiros no bairro do Estácio, região central da capital carioca, na noite de 14 de março.

A vereadora voltava de 1 evento chamado “Jovens negras movendo as estruturas”, na Lapa.

A política do Psol e o motorista Anderson Gomes foram executados, dentro de 1 carro, por pessoas ainda não identificadas em 1 carro de modelo Cobalt, clonado. Havia 3 pessoas dentro do automóvel, de acordo com as investigações.

Poder360