Lagoa: ‘Queremos investigação, mas não por órgãos políticos que querem manchar a obra’, diz secretário

cassio alexandreO secretário de Infraestrutura de João Pessoa, Cássio Andrade, reclamou da tentativa de politizar a obra da Lagoa do Parque Solon de Lucena e afirmou que as investigações serão feitas, porém pelo Ministério Público Federal. Ele ainda reclamou que o relatório da Controladoria Geral da União não foi elaborado por um engenheiro.

Em entrevista ao Sistema Arapuan de Comunicação, nesta quinta-feira (26), Andrade destacou que foi retirado da lagoa a quantidade de lixo divulgada pela prefeitura: 200 mil toneladas.

“Estamos iniciando as investigações e é muito prematuro para dizer se houve ou não [irregularidades]. Estamos interessados em investigar e ir até o final, mas não por órgãos políticos como é o caso da CPI [na Câmara Municipal]”, afirmou defendendo que órgãos técnicos façam as investigações.

Cássio destacou que a CGU é um órgão muito respeitado, mas que o relatório apresentado não foi feito por um engenheiro. “É uma discussão antiga, como uma auditoria de uma obra é feita por quem não é da área?”, questionou.

De acordo com o secretário o volume retirado ultrapassa as 200 mil toneladas e que foi atestado pelo engenheiro fiscal. Apesar de a empresa não ter pesado algumas caçambas, a contagem foi feita por aproximação levando em conta o número de veículos que foram utilizados para o transporte dos rejeitos.

Questionado sobre a quantidade de veículos utilizados, o secretário explicou que essa questão foi vista após o relatório da CGU e destacou que o assunto está sendo investigado e a prefeitura irá apresentar um posicionamento em breve. “Não adianta querer puxar esse assunto para agora, estamos às vésperas do período eleitoral e a oposição querendo manchar uma obra das mais importantes. Há 100 anos a cidade aguardava”, disse, citando ainda a valorização de outros espaços públicos realizada na gestão de Cartaxo.

“A Lagoa vai mudar a forma como João Pessoa vê o centro da cidade, que estava abandonado. A Lagoa é a cereja do bolo, mas não é a principal obra da gestão”, ressaltou, lembrando principalmente a construção de creches.

Marília Domingues