João Pessoa 14/12/2018

Início » Política » Lava Jato: governador do Rio, Luiz Fernando Pezão, é preso

Lava Jato: governador do Rio, Luiz Fernando Pezão, é preso

Ação é baseada em delação de Carlos Miranda - Ao todo, são 9 mandados de prisão - Operação foi nomeada Boca de Lobo

Governador do Estado do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão. Brasília, 09-08-2017. Foto: Sérgio Lima/PODER 360

O governador do Rio, Luiz Fernando Pezão, foi preso em desdobramento da Lava JatoSérgio Lima/Poder360 – 9.jul.2017

O governador do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão (MDB), foi preso, na manhã desta 5ª feira (29.nov.2018), no Palácio Laranjeiras, residência oficial do chefe do Estado. A ação é 1 desdobramento da operação Lava Jato e foi nomeada Boca de Lobo.

A ordem de prisão preventiva foi autorizada pelo ministro Félix Fischer, do STJ (Superior Tribunal de Justiça), onde o governador tem foro. Pezão está sendo levado para a sede da Polícia Federal do Rio, localizada na praça Mauá.

A operação é baseada na delação premiada de Carlos Miranda, operador financeiro do ex-governador Sérgio Cabral, que também está preso. Ao todo, são cumpridos 9 mandados de prisão e 30 de busca e apreensão.

Eis os 9 presos:

A PF cumpre mandados de busca e apreensão na casa do governador, em Piraí, e no Palácio Guanabara, sede do governo do Rio.

Entre outras coisas, Carlos Miranda detalhou o pagamento de mesada de R$ 150 mil para Pezão na época em que ele era vice do então governador Sérgio Cabral. Também, segundo o delator, houve pagamento de 13º de propina e 2 pagamentos de R$ 1 milhão como prêmio.

De acordo com o MPF (Ministério Público Federal), Pezão operou esquema de corrupção próprio. Os documentos indicam que o pagamento de propina de 2007 a 2015 chegaram a cerca de R$ 40 milhões em valores atualizado. Segundo as investigações, Cabral tinha seus próprios operadores financeiros.

Em nota e no Twitter, o governador eleito Wilson Witzel (PSC), disse que confia nos trabalhos da Justiça, na condução dos processos pelo STJ (Supremo Tribunal Justiça) e pela PF. Segundo ele, os trabalhos da transição não serão afetados.

O governador eleito do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, confia na Justiça e na condução dos trabalhos pelo STJ e pela Polícia Federal. A transição não será afetada. A equipe do governador eleito seguirá trabalhando para mudar e reconstruir o Rio de Janeiro.

Esta é a 2ª vez que 1 governador é preso durante o cumprimento do mandato. O 1º foi José Roberto Arruda, ex-governador do Distrito Federal, em 2010.

No caso do governador de Brasília, a decisão da prisão foi tomada pela Corte Especial, órgão colegiado do STJ.

COMO FICA A TRANSIÇÃO DE GOVERNO

Falta 1 mês para acabar o governo. Até o início de 2019, quando o governador eleito Wilson Witzel (PSL) assumirá o Palácio Guanabara, quem ficará à frente do Estado é Francisco Dornelles (PP), vice de Pezão.

A prisão de Pezão desperta insegurança nos servidores do Rio. Na 3ª feira (27.nov), o governador disse que anunciaria o pagamento do 13º salário dos servidores do Estado na 1ª semana de dezembro.

BIOGRAFIA

Luiz Fernando de Souza, 63 anos, nasceu no Rio de Janeiro. É formado em economia e administração de empresas pela Universidade Estácio de Sá e ingressou na vida pública na década de 80.

Foi prefeito de Piraí (RJ), município onde nasceu, de 1997 a 2005. Foi nomeado subsecretário estadual de Governo e de Coordenação pela então governadora do Rio, Rosinha Matheus, em 2005.

Foi vice-governador nas duas gestões de Sérgio Cabral (2007-2014) e foi eleito chefe do Executivo estadual em 2014.

Poder360