Líder da oposição na ALPB pede esclarecimentos sobre aditivo na OS da Educação e ataca RC

O líder da oposição na Assembleia Legislativa da Paraíba, Bruno Cunha Lima (PSDB), criticou o ato do Governo do Estado na segunda-feira (4) onde assinou mais de duas mil carteiras de trabalho de prestadores de serviço da educação estadual. O jovem tucano também exigiu provas após um aditivo de R$ 5 milhões na OS que vai gerir a educação pública do estado.

“Nas OSs da educação, já tivemos um aditivo de R$ 5 milhões, mal começou a funcionar. Quero que ele me prove, comprove a mim e a Paraíba, que esses gastos, que já são R$ 15 milhões, são gastos que vão ser revertidos para a população. Quero saber quanto se gasta com folha de efetivo, de comissionados, quero saber quais são os gastos e porquê desses R$ 5 milhões de aditivos. Quem não dá uma bola dentro é o governo, infelizmente, ele tenta distorcer as  informações com mídia e propaganda”, afirmou Cunha Lima.

No ato da assinatura das carteiras de trabalho dos prestadores de serviço da educação estadual, o governador Ricardo Coutinho (PSB) disse que era “mais uma derrota das oposições”. Bruno comentou sobre a declaração do socialista, e chamou até de ato de galhofa. “Não tenho que dizer nada. O governador que tenta politizar tudo. Quer fazer um ato político, aquilo foi um ato político, um ato de galhofa. O governo toma essa medida para tentar reverter a impressão que ficou péssima junto a população, a Paraíba inteira tem uma péssima impressão sobre a privatização da educação e de todas essas últimas medidas do governo”, disse; acrescentando que “Ricardo Coutinho não só tarda, quanto falha. E quando faz, ainda faz errado”.

Bruno Cunha Lima também atribuiu ao governador a criação do “pelotão anti-Cartaxo” – como vem sendo tratada as articulações para levar a ALPB suplentes que sustentem discurso contra o prefeito pessoense, assim como Aníbal Marcolino (PSD) e Raoni Mendes (DEM) – e disse que é um debate que não cabe na Casa Legislativa estadual. “Esse papel é da Câmara Municipal de João Pessoa, Ricardo que quer transformar a Assembleia numa Câmara de Vereadores. Ricardo está querendo reduzir o debate e esquecer, aliás, foi isso que fez essencialmente em seu governo, esqueceu a Paraíba e centrou foco na política de João Pessoa. Ricardo tenta estabelecer aqui na Assembleia a pauta política, quando temos outras coisas mais importantes”, analisou o líder da oposição. “2018 virá, e em 2018 discutiremos política, não agora”, finalizou.

Blog do Gordinho