Líder do PCC vai para Regime Disciplinar Diferenciado - :: Paraiba Urgente :: Portal de Notícias

Líder do PCC vai para Regime Disciplinar Diferenciado

presídio umCom um forte esquema de segurança, que teve até policiais da Rota, o preso Paulo César Souza Nascimento, conhecido como Paulinho Neblina e um dos líderes do Primeiro Comando da Capital (PCC), foi transferido nesta terça-feira (29) da Penitenciária 2 de Presidente Venceslau para a de Presidente Bernardes, no oeste paulista.

A ORIGEM DO PCC

A facção criminosa PCC foi criada em agosto de 1993, num presídio de Taubaté (a 140 km de São Paulo).

Ela surgiu após o massacre do Carandiru, ação policial que deixou 111 presos mortos na invasão do pavilhão 9 da antiga Casa de Detenção.

O grupo fundador do PCC reivindicava o fim da linha dura e dos maus-tratos contra os presos.

Marcola assumiu a chefia da facção no final de 2002. Ele está preso por roubo a bancos.

Ele permanecerá por pelo menos seis meses internado no Regime Disciplinar Diferenciado (RDD). A internação foi autorizada pelo Tribunal de Justiça de São Paulo, que aceitou a solicitação do Ministério Público Estadual (MPE). Os promotores queriam a internação por pelo menos um ano, que é o prazo previsto pela lei nos presídios de segurança máxima.

O MPE aguarda o julgamento de outros 33 recursos envolvendo líderes da facção. Condenado a 89 anos de prisão, Paulinho Neblina chegou ao presídio de Bernardes no fim da tarde de hoje. A transferência foi confirmada pela Secretaria da Administração Penitenciária (SAP), que, alegando razões de segurança, não quis fornecer detalhes sobre a operação.

PCC – 16 vídeos

Violência no Estado de São Paulo200 fotos

1 / 200

29.out.2013 – A morte de outro adolescente pela Polícia Militar levou moradores a bloquear uma avenida na zona norte de São Paulo nesta terça-feira (29). Os manifestantes fizeram uma barricada com fogo em pneus e lixo na avenida Tenente Amaro Felicíssimo da Silveira, no Parque Novo Mundo. O Batalhão de Choque usou bombas de efeito moral contra o grupo, que atirou pedras contra os policiais. Alguns focos de incêndio se formaram nas ruas do bairro Marcelo Camargo/Agência Brasil
Uol