Maduro: ataque a principal hidrelétrica da Venezuela foi efetuado por franco-atirador

O presidente venezuelano, Nicolás Maduro, afirmou que o ataque à maior hidrelétrica do país, El Guri, que provocou o segundo maior apagão em um mês, foi cometido por um franco-atirador.

Em entrevista à televisão estatal, o líder da República Bolivariana especificou quem poderia ter atacado a principal hidroelétrica do país, que deixou muitos estados sem energia elétrica

“O ataque foi, sem dúvida, feito por um franco-atirador com um rifle de longo alcance. Esta direita perversa e o fantoche diabólico estão por trás desse ataque; que nenhum dos venezuelanos tenha dúvidas sobre isso”, declarou Maduro em entrevista à televisão estatal.

O chefe de Estado acrescentou que, nas próximas horas, espera “boas notícias” sobre a restauração do fornecimento de eletricidade no país, mais uma vez apelando aos cidadãos para permanecerem calmos nas circunstâncias atuais e não cederem ao pânico.

“Peço a todos os venezuelanos que mostrem o máximo de compreensão devido aos ataques terroristas que incendiaram uma área vital para o fornecimento do serviço elétrico”, disse Maduro, ressaltando que os danos à hidrelétrica são classificados como “muito sérios”.

O edifício do Ministério das Relações Exteriores da Rússia em Moscou.

Na segunda-feira (25), um novo apagão atingiu 16 dos 23 estados da Venezuela. A capital, Caracas, e outras regiões densamente povoadas também ficaram no escuro. O incidente ocorre cerca de duas semanas depois de o país ter enfrentado o pior apagão de sua história.No dia 7 de março, a Venezuela sofreu um blecaute de quase uma semana, após um acidente na Hidrelétrica de Guri, a principal do país. Dois sistemas secundários e a linha central de transmissão também foram afetados pelo acidente, que foi classificado como “sabotagem norte-americana” pelo governo.

Como resultado, 20 dos 23 estados venezuelanos ficaram sem energia elétrica. O funcionamento de fábricas e instalações públicas em todo o país foi suspenso por quase uma semana.

Sputnik