Mais dois terremotos abalam Lombok, na Indonésia

Mais dois terremotos abalam Lombok, na Indonésia

Casa desmoronada após novo terremoto na Indonésia.Amre Mogen /via REUTERS

Dois terremotos de magnitudes 6,3 e 6,9 foram registrados neste domingo (19) na ilha indonésia de Lombok, semanas depois de outro sismo que matou mais de 460 pessoas – anunciou o Serviço Geológico dos Estados Unidos (USGS, na sigla em inglês).

O primeiro deles, de magnitude 6,3, foi registrado em Lombok, neste domingo. Horas mais tarde, outro sismo de magnitude 6,9, voltou a abalar a ilha.

O epicentro do primeiro se localizou ao sudoeste de Belanting, a uma profundidade de 7 quilômetros, indicou o USGS, acrescentando que o epicentro do segundo foi a uma profundidade de 20 km, cinco km ao sul de Belanting. Não foi emitido alerta de tsunami.

Segundo moradores, o tremor foi sentido com força no leste da ilha. Esse sismo foi menos intenso, porém, do que o de 5 de agosto passado, e não há informações de vítimas até o momento.

“O sismo provocou pânico em algumas pessoas, que fugiram de suas casas”, declarou à emissora Metro TV o porta-voz da agência nacional de gestão de catástrofes, Sutopo Purwo Nugroho.

O porta-voz dos serviços regionais encarregados das catástrofes, Agung Pramuja, indicou que vários imóveis no distrito de Sembalun desabaram neste domingo. Essas construções já haviam sido danificadas pelos dois sismos anteriores.

Também houve deslizamentos em um parque nacional, onde centenas de pessoas ficaram presas no final de julho, em outro sismo. Desde então, o parque está fechado ao público.

“Estava dirigindo para entregar ajuda aos evacuados quando vi que os postes de luz se moviam. Me dei conta de que era um terremoto”, relatou à AFP Agus Salim, que mora na região.

“As pessoas começaram a gritar e a correr para as ruas”, acrescentou.

O tremor também foi sentido em Mataram, capital da ilha, e na vizinha ilha turística de Bali.

Cinturão de fogo

Em 5 de agosto, um sismo de magnitude 6,9 destruiu milhares de imóveis em Lombok.

“Todo o mundo saiu correndo. As pessoas se reúnem nos campos, completamente ao ar livre. Está todo o mundo aterrorizado”, disse Endri Susanto, morador de Mataram.

“Todo o mundo está traumatizado com os outros terremotos, porque parece que as réplicas não vão acabar nunca”, completou.

Arquipélago de 17.000 ilhas e ilhotas, a Indonésia se encontra no cinturão de fogo do Pacífico, uma zona de intensa atividade sísmica.

Noticiário Francês