Malafaia rejeita reunião com Temer e critica reforma da Previdência

O pastor possui mais de 2 milhões de seguidores no Facebook

Em busca de aproximação com líderes evangélicos, o governo recebeu uma negativa de Silas Malafaia, da Assembleia de Deus. O pastor disse ao Poder360que não se reunirá com Michel Temer para discutir a reforma da Previdência.

O líder evangélico disse que tem recebido ligações de auxiliares do presidente, mas nem sequer atendeu as ligações.“Eles me ligaram, mas não vou me reunir com ninguém porque não concordo com essa reforma”, afirmou.

Malafaia criticou a reforma da Previdência, que, segundo ele, “protege grupos”“Antes de o governo falar em deficit da Previdência, tem que falar em controle absoluto da corrupção”, disse.

“Não sei se alguns desses líderes têm interesse, qual o interesse deles. Mas esses líderes têm influência sobre algum deputado pelo menos”, afirmou.

DEDO NO CONGRESSO

Malafaia é ligado ao deputado Sóstenes Cavalcante (DEM-RJ). O demista disse ao Poder360 que uma reunião com o governo é “pouco provável”. O deputado diz que “a ampla maioria [da bancada evangélica] tem muita dificuldade [para votar a reforma].

“Meu deputado, Sóstenes Cavalcante, que é da minha igreja, também não vai votar essa reforma”, afirmou Malafaia.

Além de influenciar diretamente no Congresso, o líder religioso também se apoia em suas redes sociais para persuadir mais deputados e senadores. Tem 2 milhões de seguidores no Facebook e 1,3 milhão no Twitter.

“Lógico que influencio vários da bancada evangélica. Não vou citar nomes para não ficarem constrangidos, mas tenho certeza de que vários que quando virem a notícia das minhas posições ficam de orelha em pé”, disse o pastor.

MAIS 1 “BOLO”

Temer teve 1 encontro cancelado com o pastor R.R. Soares na 4ª feira (17.jan) pela manhã. O apresentador do “Show da Fé” disse ao Planalto que não conseguiu chegar a tempo em Brasília por 1 problema com seu voo.

No vácuo deixado por R.R.Soares foi encaixado 1 encontro com o pastor Martin Kuhn, da Igreja Adventista do Sétimo Dia. A secretária de Política para Mulheres, Fátima Pelaes, também evangélica, tem tentado atrair pastores pró-reforma da Previdência.

Forbes calculou, em 2013, quais eram os pastores mais ricos do Brasil. Em 1º, estava Edir Macedo, da Igreja Universal, ligada ao PRB (partido da base de apoio ao governo no Congresso). Logo depois estão Valdemiro Santiago (Igreja Mundial do Poder de Deus), que se reuniu com Temer na 2ª feira (15.jan), Malafaia e R.R. Soares.

Poder360