absolvicao

Manoel Jr afirma que em nenhum momento pediu absolvição de Cunha

manoel-junior-1pmdb-humilhadoO vice-prefeito Manoel Júnior (PMDB), falou sobre a sua atuação na Câmara Federal durante o processo de cassação do ex-deputado Eduardo Cunha (PMDB). De acordo com o parlamentar, para a votação de presidente da Casa, quando Cunha foi eleito, ele seguiu o voto de outros deputados paraibanos.

Segundo Manoel Júnior, durante o processo de cassação de Eduardo Cunha, ele fez todos os requerimentos e encaminhamentos pautado na Constituição Federal e no regulamento do Conselho de Ética da Casa.

“Diferente do que foi dito em programas de rádio, em nenhum momento eu pedi absolvição de Eduardo Cunha, muito pelo contrário, meu voto lá no Conselho de Ética era por uma condenação moderada dele, porém, o que foi para o plenário era cassação ou absolvição”, disse.

Durante a votação, ele justificou que teve que tomar a votação pela cassação de Cunha e disse que o deputado reclamou da posição que foi tomada por Manoel.

“Tomei a decisão no plenário votando pela cassação do deputado. Ele, magoado, falou que está passando uma situação extremamente difícil, e eu, efetivamente, não tenho poderes de interferir sobre isso. Ele fez não só a mim, mas a mais dois parlamentares queixas de que nós não tínhamos votado de forma alinhada com ele. Tínhamos que cumprir o nosso papel de deputados federais e representantes da sociedade”, afirmou.

PB Agora