Marmuthe afirma que oposição está desesperada com obra da Lagoa; Renato aponta falhas

marmuthO vereador Marmuthe Cavalcanti (PSD) e Renato Martins (PSB)  participaram de um debate sobre a obra da Lagoa que tem causado tanta polêmica. As discussões aconteceram durante entrevista  ao Programa Rádio Verdade do Sistema Arapuan de Comunicação desta quarta-feira (25).
Marmuthe Cavalcanti explicou que a aposição ao prefeito Luciano Cartaxo está desesperada com o andamento das obras da Lagoa. “Vamos entregar essa obra no próximo mês custe o que custar para desespero dos nossos opositores e por isso eu recomendo que  eles comecem  a tomar remédio para manter o controle”, garantiu o vereador ao destacar que a decisão do Tribunal de Justiça em determinar o arquivamento da CPI   “foi a mais viável e responsável” e  ninguém está acima da lei e o que a câmara está fazendo nesse momento é cumprindo a decisão do Tribunal de Justiça.
De acordo com ele, Luciano Cartaxo vem mostrando trabalho,  ações e entregando obras “ e por isso o desespero da oposição  que teve todas as oportunidades e chances de fazer a obra da Lagoa e não fez e agora  Luciano Cartaxo está fazendo  e vai concluir e entregar no tempo determinado”, completou.
Enquanto isso, Renato Martins voltou a criticar falhas na execução da obra e citou como exemplo do túnel que  não tem o diâmetro e o tamanho corretos e a questão da quantidade  de caçambas usadas para retirar o entulho. “A prefeitura disse num primeiro momento que foram usadas  110 carros com  seis metros cúbicos para transporte dos entulhos e agora diz que  foram  58 carros com 12 metros cúbicos. Existe muita informação desencontrada e o que eu quero é apresentar  a verdade”, explicou.
Marmuthe Cavalcanti rebateu dizendo que tudo está feito dentro do cronograma  e  afirmou ainda que a Caixa Econômica Federal   libera os  recursos  depois de cada etapa cumprida e fiscalizada  ‘e o relatório é claro “não há irregularidades”,completou.
O vereador disse que Renato Martins se colocar acima de qualquer pessoa quando desqualifica técnicos, engenheiros e até mesmo o presidente do Tribunal de Justiça do Estado “ e o acho que a gente na vida tem que ter limites e porque  tentar inviabilizar uma obra tão importante  para João Pessoa e  que vocês tiveram a oportunidade fazer e não fizeram e  a quem interessa a não  conclusão dessa obra?” indagou vereador Marmuthe.
Renato Martins disse que a Prefeitura não mandou a lista dos motoristas que dirigiram as caçambas e nem a  relação dos postos que abasteceram cerca de um milhão de litros de óleo diesel. Marmuthe rebateu dizendo que essas informações são de competência da empresa responsável pela obra.
Paraíba.com