Marmuthe ainda não decidiu se ocupará vaga de Eliza e pode renunciar à suplência na Câmara de JP

A vereadora Eliza Virgínia (PSDB) ainda não definiu sua ida para a Assembleia Legislativa da Paraíba mas, caso ela se confirme, deve provocar mudanças na gestão da Prefeitura de João Pessoa. É que a vaga na Câmara Municipal precisa ser preenchida por um dos suplentes da coligação (PSDB, PSD, PHS, PTN) e os próximos da lista estão ocupando cargos no Executivo. Esse é o caso de Marmuthe Cavalcanti (PSD) que foi nomeado nesta terça-feira (20) para a superintendência adjunta do Instituto da Previdência Municipal (IPM).

O cargo era ocupada pelo primeiro suplente da coligação, Professor Gabriel, que está na CMJP na vaga de Pedro Coutinho, falecido mês passado. “Se ele for convocado e não vier ele perde o direito ao mandato. Ele teria que deixar a Prefeitura e assumir para depois retornar ao cargo, mesmo assim só poderia fazer isso para uma titularidade”, afirmou Eliza sobre regras da Lei Orgânica do Município.

O suplente, contudo, afirmou que ainda está refletindo sobre a situação e que a decisão passará por uma consulta aos aliados.”Estou avaliando, consultando minhas bases e minha militância”, disse. Ele confirmou que a recusa em ir para o legislativo pessoense pode tirá-lo da lista de suplentes. “É a renuncia tácita da condição de suplente”, informou.

Os próximos da lista seriam Benilton Lucena (PSD), Marco Antônio (PHS), Aníbal Marcolino (PSD) e Bira Pereira (PSD). Os dois primeiros ocupam respectivamente a Ouvidoria e o cargo adjunto da Secretaria de Finanças, enquanto Bira ocupa a Secretaria de Transparência Pública do município. Já Aníbal Marcolino pode fazer companhia a Eliza Virgínia na Casa Epitácio Pessoa caso uma articulação da oposição no legislativo paraibano dê o resultado esperado. Em quase todos os cenários, o prefeito Luciano Cartaxo precisará reorganizar sua administração.