"Matei em um momento de loucura", diz jovem que matou a mulher e escondeu o corpo dela, por três dias, dentro do guarda-roupas - :: Paraiba Urgente :: Portal de Notícias

“Matei em um momento de loucura”, diz jovem que matou a mulher e escondeu o corpo dela, por três dias, dentro do guarda-roupas

doido doisDepois de ter matado a mulher e escondido o corpo dela, por três dias, dentro do guarda-roupas do casal, o ajudante de pedreiro Diogo de Oliveira de Jesus, 20 anos, foi preso na tarde desta segunda-feira (10).

Uma suposta traição teria sido o motivo do crime, segundo o jovem. Ele garantiu à polícia que a operadora de caixa Izabella Malta Bustamante, 18, contou a ele que o teria traído.

Mesmo alegando não recordar de muitos detalhes, pois estava sob efeito de drogas, Diogo confessou que enforcou Izabella com um fio de internet. Depois disso, ele continuou fumando crack, algo que vinha fazendo há cinco dias.

Durante três dias, Diogo conviveu com a jovem morta dentro do quarto do casal. Para disfarçar o mau cheiro, ele colocou o corpo dela dentro do guarda-roupas e chegou a queimar café em casa.

O assassinato só foi descoberto na tarde de domingo, pois familiares que tentavam falar com a vítima desde quinta-feira, e não conseguiam, decidiram ir até a casa onde o casal vivia, em Jardim Carapina, na Serra.

Na ocasião, Diogo disse para a família de Izabella que teria brigado com a mulher e que ela tinha saído de casa. Porém, vizinhos desconfiaram e retornaram com parentes até o local, arrombando a porta.

O corpo de Izabella foi encontrado pela mãe, irmão e tia dela. Depois disso, o acusado tentou fugir, mas foi perseguido e capturado por vizinhos.

Ele vomitou e disse que tinha ingerido veneno para rato. Por isso, foi escoltado pela polícia até o Hospital São Lucas, em Vitória, onde ficou internado. Os enfermeiros que atenderam o acusado disseram que nenhuma substância tóxica foi encontrada no estômago dele.

O casal namorava há três anos e decidiu morar junto há dois. Após ser preso, na tarde de ontem, Diogo contou que era apaixonado por Izabella, mas eles brigavam constantemente por causa das drogas. Se dizendo arrependido, o jovem pediu perdão à família dela e disse que queria se matar.

Amor e droga

Como você a conheceu?
Nos conhecemos no bairro e começamos a namorar. Um ano depois, fomos morar juntos.

Você amava a Izabella?
Eu gostava dela. Pretendia ter filhos com ela.
Acha que ela te amava?
Sim.
Por que você a matou?
Porque ela disse que tinha me traído. Eu fiquei com muita raiva. Na hora eu estava louco e achei que fosse a melhor coisa a fazer.
Você já a traiu?
Sim. Ela me perdoou.
Você está arrependido?
Muito. Foi um momento de loucura. Se pudesse, eu voltaria atrás.
Você estava drogado quando a matou?
Sim. Eu estava fumando crack há cinco dias seguidos. Uso crack há cinco anos.
Izabella te pedia para parar de usar drogas?
Ela me aconselhava a parar e dizia que ia me ajudar a largar o crack. Talvez tenha me traído por causa disso.
A família dela aprovava o namoro de vocês?
Não, porque eles sabiam que eu usava drogas.

Por que você tomou chumbinho?
Queria me matar. E que a polícia encontrasse os dois corpos juntos.

Tentou se matar depois que a família dela foi na sua casa?
Não. Ia me matar desde o início, mas estava criando coragem.
Por que escondeu o corpo dela no armário?
Não sei. Eu estava louco.
Se você pudesse falar algo para a família da Izabella, o que diria?
Quero o perdão deles.

Acusado pode ficar preso por 30 anos

Diogo de Oliveira de Jesus, 20 anos, vai ser indiciado por homicídio triplamente qualificado por motivo fútil, impossibilidade de defesa e asfixia. A pena do jovem pode ir de 12 a 30 anos.

Segundo o titular da Delegacia de Homicídios e Proteção à Mulher (DHPM), Adroaldo Lopes, o fato de Diogo ter assassinado a mulher sob efeito de drogas não ameniza o crime. Para o delegado, mesmo o ajudante de pedreiro tendo dito que estava “louco”, ele sabia o que estava fazendo.

“Ela tinha consciência do que fazia, tanto que escondeu o corpo no guarda-roupas e tentou disfarçar o cheiro. O uso da droga não interferiu nisso”, declarou.

De acordo com Adroaldo, o rapaz confessou o crime, mas disse não saber o dia exato que matou Izabella. Ele ainda contou que, durante os dias que manteve a mulher morta dentro de casa, ele vendeu objetos para comprar crack e continuar fumando a droga.

“Ele não tinha mais nada para vender e não tinha como manter o vício. Então resolveu se matar”, disse o delegado.

Padrasto não acredita que motivo do crime seja traição

Foto: Arquivo PessoalO corpo de Izabella foi enterrado na segunda-feira (10), em Vila Velha

Familiares de Izabella Malta Bustamante não acreditam que a jovem tenha traído o marido. Para eles, Diogo matou a mulher porque ela teria dito que iria embora de casa.

Segundo o padrasto de Izabella, Luís Adriano Batista, a enteada ligou na tarde de quinta-feira para a mãe, dizendo que não aguentava mais viver com Diogo.

“Como Izabella iria traí-lo, sendo que lutava contra todos para ficar com ele? Ela fazia tudo pelo Diogo, colocava comida em casa, pagava aluguel, ficava com ele mesmo ele usando drogas. Acredito que ele a tenha matado porque ela disse que ia embora”, afirma Luís Batista, que espera que Diogo pague pelo crime.

O relacionamento não agradava a família de Izabella. Segundo o padrasto, Diogo não frequentava a casa dos familiares dela. Luís ainda diz que, apesar da enteada amar o marido, não acredita que Diogo também a amava.

“Eu não acho que ele a amava. Um homem que ama não bate na mulher, não mata. Ele é uma pessoa fria e vai pagar pelo que fez. Eu não tenho que perdoá-lo, Deus é quem perdoa”, finaliza o padrasto.

O corpo de Izabella foi enterrado no cemitério de Santa Inês, em Vila Velha, na tarde de ontem. Segundo o padrasto, a família estava muito abalada e permanece em estado de choque com o crime.

PUBLICIDADE