Médica fica indignada com vereadores e rejeita título de cidadania campinense

Em vídeo publicado nas redes sociais, a médica recusa o título de cidadão campinense (Foto: Reprodução/agenciabrasil)

A médica Adriana Melo, especialista que estudou a relação do Zika Vírus com a microcefalia, expôs nesta quinta-feira (28) toda sua indignação com a maioria dos vereadores de Campina Grande. Em vídeo publicado nas redes sociais, a médica recusa o título de cidadão campinense  e a comemoração, na data de seu aniversário,  do  dia municipal de microcefalia.

“Considere como rejeitados. Eu não preciso de títulos dados por vereadores para poder me considerar campinense” desabafou a médica que nasceu no Ceará ao afirmar que já se considera campinense.

A médica criticou a ação da maioria dos vereadores que rejeitou projeto que previa subvenções da  prefeitura para auxiliar projeto sociais.  O projeto do vereador Olímpio Oliveira (PMDB) assegurava o repasse de R$ 5 mil para o Instituto Professor Joaquim Amorim Neto (Ipesq), que é responsável por pesquisas sobre a Microcefalia em Campina Grande.

A médica também não poupou a Câmara dos Deputados que recusou projeto do deputado Pedro Cunha Lima nesse sentido. “A gente já esperava por isso”, desabafou.

Adriana Melo fez questão de publicar os nomes dos vereadores campinenses que recusaram a ajuda ao instituto.