Médico Larry Nassar condenado a pena entre 40 e 175 anos de prisão

O antigo médico da equipa de ginástica norte-americana, Larry Nassar, foi condenado esta quarta-feira a uma pena de 40 a 175 anos de prisão por abusos sexuais a mais de 150 mulheres. A condenação surge uma semana depois de inúmeras raparigas, muitas delas ginastas medalhadas em Jogos Olímpicos, terem dado o seu depoimento sobre a atuação do médico.

 A juíza Rosemarie Aquilina não poupou nas palavras quando decretou a sentença de prisão a Larry Nassar, antigo médico da equipa de ginástica norte-americana e da Universidade Estatal do Michigan.

“Acabei de assinar a sua sentença de morte”, disse a juíza que sentenciou Nassar a 175 anos de prisão, num processo em que mais de 150 mulheres denunciaram terem sido sexualmente abusadas pelo médico.

As ações de Nassar foram descritas como “precisas, calculadas, manipuladoras, desviantes e desprezíveis”. O médico servirá um mínimo de 25 a 40 anos de prisão antes de ser elegível para sair em liberdade condicional.

“É minha honra e privilégio sentenciá-lo. Não merece caminhar fora de uma prisão. Não fez nada para controlar os seus desejos e, onde quer que vá, destruição vai acontecer aos mais vulneráveis”, acrescentou a juíza.

Nassar, com 54 anos, deu-se como culpado da acusação de sete crimes sexuais em primeiro grau em novembro último, estando já numa prisão federal por crimes de pornografia infantil, pelos quais foi condenado com uma pena de 60 anos.

Antes da decisão de Rosemarie Aquilina, Larry Nassar proferiu umas palavras em que pediu desculpa às vítimas, afirmando que vai carregar as palavras das mesmas pelo que resta da sua vida.

No entanto, a juíza desvalorizou o discurso de Nassar, acusando-o de “não ser sincero”, tendo lido excertos de uma carta escrita pelo antigo médico, em que o mesmo alega que é um bom médico e que foi manipulado para se dar como culpado.

Na carta que a juíza leu durante as alegações finais, ficou a saber-se que Larry Nassar acusou as vítimas de fabricarem alegações para ganhar dinheiro e fama.

“Esta carta diz-me que ainda não se responsabiliza pelo que fez”, disse Rosemarie Aquilina, acrescentando que “eu não levaria os meus cães até si”.

A sentença de 175 anos aplicada a Larry Nassar acontece depois de inúmeras vítimas terem estado em tribunal a contar os testemunhos das suas histórias, confrontando o abusador, e como o mesmo usava os tratamentos médicos para abusar sexualmente das pacientes.

(c/ Agências)